Pular para o conteúdo
Em Feijó

Menor é preso por envolvimento na morte de adolescente torturado e assassinado por “tribunal do crime”

O menor, de 17 anos, seria uma das pessoas encarregadas de levar a vítima até o local da morte

Mais uma pessoa foi presa pelo caso de José Evlair Felix de Araújo, de 14 anos, assassinado em agosto deste ano, em Feijó. Dessa vez, um menor de idade, de 17 anos, foi apreendido na última terça-feira,21, por estar envolvido no “julgamento” do adolescente dentro da facção.

O menor foi encontrado em casa, no bairro Zenaide Paiva.  De acordo com informações da Polícia Civil, ele seria uma das pessoas encarregadas de levar a vítima até o local da morte.

Agora, nove pessoas estão presas pelo crime, incluindo a tia e a madrasta da vítima, que teriam entregado José Evlair para o “tribunal do crime” da facção da qual também fazem parte. Na última segunda-feira, 20, mais dois homens foram presos pelo crime.

O corpo da vítima foi encontrado em uma cova rasa no Ramal do Quinôr, em agosto. O jovem teria sido “julgado e condenado” por ter supostamente abusado da prima de cinco anos.

José Evlair Felix de Araújo, de 14 anos, foi morto no dia 19 de agosto.

Assassinato brutal

O delegado Railsson Ferreira, responsável pelo caso, explica que, até o momento, todos os presos são suspeitos por estarem envolvidos no “julgamento” e deslocamento do adolescente antes da execução. A vítima chegou a ser levada por mais de seis lugares antes de ser assassinada.

“Em todos esses trajetos, teve conversas entre o adolescente, as pessoas que estavam com ele os ‘conselheiros’ de forma virtual. Ele passou por várias e várias reuniões e foi muito violentado, até os olhos dele arrancaram”, relata o delegado Railsson Ferreira, responsável pelas investigações.

O laudo cadavérico ainda não foi concluído, mas também foi possível detectar cortes no pescoço da vítima, e a suspeita é de que José Evlair também foi bastante torturado na região dos órgãos sexuais. Com relação à prima, que teria sido abusada pelo adolescente, ainda não foi possível realizar o exame para constatar se houve ou não conjunção carnal.

Sobre o caso

De acordo com as investigações da polícia, a tia e a madrasta de José informaram que ele teria abusado a prima no dia 18 de agosto e logo levaram o caso para o ‘tribunal do crime’ da facção da qual fazem parte.

A morte ocorreu no dia seguinte, após várias reuniões que definiriam o que seria feito com o adolescente.

No domingo,22, por volta das 12h, o corpo foi encontrado, já em estado de decomposição, em uma vala rasa. O corpo foi levado para a perícia, na cidade de Cruzeiro do Sul.

Ainda no mesmo dia, a Polícia Civil prendeu cinco pessoas suspeitas pelo envolvimento no caso, dentre elas a tia e madrasta da vítima que confessaram a situação em depoimento. Os crimes cometidos pelos presos vão desde de organização criminosa, ocultação de cadáver, homicídio qualificado e formação de quadrilha.

Leia também: ‘Foi muito violentado e até os olhos dele arrancaram’, relata delegado sobre adolescente entregue pela tia e madrasta ao ‘tribunal do crime’