Pular para o conteúdo
NA POLÍTICA

Em encontro com partidos ligados a Bittar, Gladson chama Márcia de “minha senadora”

Visivelmente empolgado com a presença de dirigentes de pelo menos onze partidos ligados a Márcio Bittar, e que declararam apoio á sua reeleição, o governador agradeceu o apoio e reconheceu que tem força a reunião do bloco em torno da pré-candidatura de Márcia Bittar

(Foto: Cedida)

Em uma reunião fechada e sem acesso da imprensa, o senador Márcio Bittar (sem partido) reuniu representantes dos partidos que formam o bloco do arco de alianças que tem articulado para mostrar força política ao governador Gladson Cameli (PP), junto a quem pleiteia emplacar a pré-candidatura de sua ex-esposa, a professora Márcia Bittar (sem partido), à única vaga ao Senado em disputa nas eleições de 2022.

Segundo Informações extraoficiais, ao chegar ao encontro, Cameli se dirigiu à Márcia Bittar como “minha senadora”, ao cumprimentá-la. A atitude não seria estranha se Gladson Cameli, pré candidato à reeleição, não tivesse pelo menos outros quatro postulantes dos demais partidos de seu campo político partidário à vaga em sua chapa majoritária e este, por sua vez, tem declarado que somente decidirá com quem subirá no palanque na vaga de candidato ao Senado no começo do ano que vem.

Visivelmente empolgado com a presença de dirigentes de pelo menos onze partidos ligados a Márcio Bittar, e que declararam apoio á sua reeleição, o governador agradeceu o apoio e reconheceu que tem força a reunião do bloco em torno da pré-candidatura de Márcia Bittar.

Do encontro, realizado em um hotel em Rio Branco na manhã desta sexta-feira, 15, estiveram presentes: do Solidariedade, Moisés Diniz; do PSL, Pedro Valério; do PTB, Osmir Lima e Charlene Lima; do  Republicanos, João Paulo Bittar; do Patriotas, Josemir Anute; do PSC, Robson Aguiar; além de representantes do PSDB, do PSDC, do DEM, do PTC, e do PDT.

A presença do deputado Luiz Tchê, presidente regional do PDT, chamou a atenção uma vez que seu partido, em nível nacional, tem Ciro Gomes como pré-candidato à presidência da República e os Bittar são Bolsonaristas declarados. Indagado, respondeu que seu apoio a pré-candidatura de Márcia Bittar deve-se ao apoio do senador Márcio ás prefeituras do PDT no Acre. “Sou Ciro, mas fui convidado e é normal na política a gente reconhecer quem está ajudando e é o Márcio que está liberando recursos para os nossos prefeitos do PDT de Tarauacá, Jordão e Bujari.E de certo também tem o nosso apoio à reeleição do governador Gladson. “, pontuou.