Pular para o conteúdo
14 dias depois

Funcionários da Emurb que estavam em caminhonete que caiu de ponte recebem alta

O servidor com quadro mais grave passou por uma cirurgia na cervical e recebeu alta do Pronto Socorro de Rio Branco nesta quinta-feira,25

Sebastião de Souza Sena, de 44 anos, passou por uma cirurgia na cervical no domingo,21, e voltou para casa na última quinta-feira,25.

Após 14 dias internado e uma cirurgia na coluna cervical, Sebastião de Souza Sena, de 47 anos, recebeu alta do Pronto Socorro nesta quinta-feira,25, em Rio Branco. Ele era o motorista da caminhonete da Empresa Municipal de Urbanização (Emurb) que caiu de uma ponte com mais dois funcionários do órgão, no dia 11 de novembro. O acidente aconteceu no km 53 da Rodovia AC-90, Estrada Transacreana.

O auxiliar de serviços gerais, Vagnilson Gomes Barbosa, de 44 anos, chegou a ficar internado por 12 dias, pois teve uma costela fraturada e edema pulmonar. Já Alcimar Santos da Silva, foi a única vítima que recebeu alta no dia seguinte após o acidente.

Sebastião foi quem mais se machucou no acidente e chegou a ficar internado em estado grave. Ele ainda não consegue mexer as pernas por conta de três fraturas na cervical e uma fratura “explosão” na coluna dorsal. O motorista passou por uma cirurgia no dia 21 de novembro e segundo o diretor-administrativo e financeiro da Emurb, Carlos Lourenço, ele se recupera bem.

“Vai ter que usar colete,cadeira de rodas e fazendo fisioterapia. Ele já está movimentando os dedos do pé e está sentindo a perna. Está com um colete cervical que a Emurb providenciou sob medida para ele e depois vai fazer fisioterapia para ir recuperando os movimentos aos poucos. Os médicos estão muito satisfeitos com a cirurgia, foi um sucesso, agora vai ficar um tempo em casa, até porque foram mais de seis horas de cirurgia. Acredito que já já ele vai estar recuperado”, explicou.

Caminhonete está passando por uma perícia para verificar o motivo do acidente.

Os três servidores estavam há duas semanas trabalhando no km 55, no Ramal Cachoeira, onde implementaram bueiros em um trecho de 15 quilômetros entre a estrada e a beira do Rio do Rola. O serviço estava na fase final, no dia do acidente.

Uma perícia está sendo realizada na caminhonete para tentar constatar o que de fato aconteceu. Segundo as vítimas, o veículo estava sem o peito de aço e algo na estrutura da ponte teria enganchado na fiação do carro que caiu de uma altura de 10 metros.

“Um dia antes, a caminhonete tinha arrancando o peito de aço e eu arranquei tudo fora e falei: ‘Qualquer coisa que enganchar aqui, ela vai perder a direção’. As serpentinas ficaram tudo do lado de fora, são duas serpentinas bem fininhas que amassam facilmente. E aí, os meninos do Deracre estavam trabalhando na ponte, aí cedeu o barro que eles colocaram na cabeceira da ponte. A tábua, na cabeceira, ficou alta e, quando eu subi,  acho que enganchou alguma coisa. Eu só senti quando a caminhonete rodou e neutralizou, não pegou mais freio (…). Aí ela rodou, eu só vi ela atravessando, e os meninos gritando, e quando eu dei conta já estava lá embaixo da ponte”, relatou Sebastião ao site A Gazeta do Acre.

A Emurb afirma que está acompanhando o quadro de saúde dos servidores e fornecendo toda a assistência possível. “É o que a Emurb pode estar fazendo e contibuindo com os caolaboredes. Deixamos uma equipe de três pessoas exclusiva para atender as duas famílias que estavam lá, deixamos um carro a disposição para transitar com os famlilares. Todo o tipo de suporte que a Emurb poderia fornecer estamos fornecendo”, afirma o diretor .

‘É um milagre estar vivo’

Sebastião chegou a ficar preso às ferragens do carro e foi preciso cortar uma porta do veículo para retirá-lo. Ele precisou aguardar a retirada de um dreno para realizar a cirurgia na coluna. Segundo prognóstico médico, a coluna do motorista foi atingida em quatro níveis e ainda não é possível precisar se ele vai voltar a mover as pernas.

O servidor chegou a ter melhoras no dia 15 de novembro, dia em que voltou a sentir as pernas e os dedos. Além de motorista, ele exerce a função de pedreiro, carpinteiro, serrador na Emurb, desde maio deste ano. “É um milagre de Deus, todo mundo fala que, da altura que eu caí, é um milagre estar vivo”, comenta.

A ponte do “Vai Se Ver” possui altura de 18 metros, mas a caminhonete caiu de um trecho com 10 metros de altura. A operação de resgate contou com equipes do Corpo de Bombeiros, Polícia Militar, Samu e Centro Integrado de Operações Aéreas (Ciopaer), e o helicóptero de resgate foi acionado. Preso às ferragens do carro, foi preciso cortar uma porta para retirar seu Sebastião do veículo.

O motorista agradeceu as equipes responsáveis pelo salvamento. “Eles são muito competentes, em questão de minutos chegou o Corpo de Bombeiros, helicóptero, Polícia Militar… Em questão de 40 minutos, chegou todo mundo lá”, elogia.

Caminhonete caiu de uma altura de 10 metros (Foto: Cedida)

Leia mais em: ‘É um milagre estar vivo’: motorista de caminhonete da Emurb relata o acidente e diz que tem fé que vai voltar a andar