Pular para o conteúdo
Economia

Desemprego diminui no Acre, no terceiro trimestre, mas percentual de desocupados é maior que a média nacional

Taxa de desemprego no Estado reduziu de 16,3%, no 2º trimestre, para 13,8%, no 3º trimestre de 2021. Mesmo com o diminuição, o percentual de desocupados é o maior na média nacional (12,6%), apontou a pesquisa do IBGE

Segundo o IBGE, a queda na taxa de desocupação está relacionada ao crescimento da ocupação, evidenciado nos meses anteriores (Foto: cedida)

De acordo com a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua), a taxa de desemprego no país recuou 12,1%, de agosto a outubro deste ano. Os dados foram divulgados nesta terça-feira, 28, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O estudo demostrou que o número de pessoas sem trabalho formal diminuiu 1,7 milhão, isso em comparação ao mesmo período de 2020, quando 14,6 milhões de brasileiros estavam sem carteira assinada. A análise apontou um crescimento de 10,2% em relação a população ocupada (94 milhões).

No Acre, a taxa de desemprego reduziu de 16,3%, no 2º trimestre, para 13,8%, no 3º trimestre de 2021. Mesmo com o diminuição, o percentual de desocupados no Estado é o maior na média nacional (12,6%), apontou a pesquisa.

Segundo o IBGE, a queda na taxa de desocupação está relacionada ao crescimento da ocupação, evidenciado nos meses anteriores, e que o aumento no número de empregados ocorreu nas áreas do comércio (responsável por grande parte do aumento da ocupação), serviços, indústria, alimentação e alojamento.

No entanto, mesmo com a diminuição no número de desempregados, a falta de emprego formal ainda atinge 12,9 milhões de pessoas no Brasil. Em todo o país, a taxa de informalidade chegou a 40,7% este ano, o que corresponde a mais de 38 milhões de pessoas sem registro na carteira de trabalho.