Pular para o conteúdo
Qualificação artística

Técnica Viewpoints é tema de oficina gratuita em Rio Branco

As inscrições já estão abertas e encerram no próximo domingo,5

Oficina será realizada de 6 a 10 dedezembro, na Usina de Arte João Donato.

Para os amantes da dança e das artes cênicas, uma oficina de “Viewpoints” será realizada na próxima semana, de 6 a 10 de dezembro, das 18h às 22h, em Rio Branco. Ministrada pelo artista Felipe Barbosa, a oficina é gratuita e será realizada na Usina de Arte João Donato,com carga horária de 20 horas. Podem participar pessoas a partir dos 15 anos de idade e as inscrições podem ser feitas até este domingo,5, pelo LINK.

O curso é uma realização das ações de qualificação artística ofertadas pelo governo do Acre por meio da Fundação de Cultura Elias Mansour (FEM). Viewpoints (pontos de vista) é uma técnica a partir de uma série de nomes dados a certos princípios de movimento através do tempo e do espaço. Sistema de improvisação muito usado na dança contemporânea, o Viewpoints incentiva o aprofundamento em processos de criação dentro de coletivos.

Diretor da Companhia de Dança Corpóreos, Felipe Barbosa comenta que encontrou pessoas que tinham muita curiosidade em aprender modos de produzir a dança. E ele encontrou no viewpoints uma perspectiva de criação para cena.

“Umas das coisas que os viewpoints nos permite é fazer esse tipo de descoberta, a partir de procedimentos coletivos. Porque eles são um sistema aberto ao invés de um metodo fechado, que utilizam tarefas orientadoras que disparam eventos coreográficos em cena. Por isso não da para prever o que pode acontecer, mas sabemos que a fonte para a inspiração e para invenção chega até nós durante a prática dos viewpoints a partir dos outros e do mundo físico ao nosso redor. Acredito que podemos esperar, que essa prática nos conduza para mais escolhas e para mais liberdade”, comenta.

Os participantes terão a oportunidade de conhecer e experimentar técnicas de improvisação Viewpoints. O público alvo da oficina são atores, bailarinos, dançarinos, coreógrafos, performers e professores de dança, de teatro e interessados em praticar e aperfeiçoar a criação do movimento, o desenvolvimento de improvisações e composições cênicas, trocar experiências sobre diferentes o uso tempo/espaço no seu trabalho artístico, explorando as possibilidades corporais, sensoriais e emocionais.

Sobre o oficineiro

Felipe Barbosa é diretor da Companhia de Dança Corpóreos e integra o Grupo de Pesquisa e Extensão em Artes Cênicas Nóis da Casa.

Felipe Barbosa é acreano, bailarino, coreógrafo e artista-pesquisador. Atualmente é mestrando em Artes Cênicas (2019) na Universidade Federal do Acre, onde também se formou em Bacharel (2012-2016) e Licenciatura (2016-2021) em Educação Física. Atuou em 9 espetáculos de dança e tem experiência nas modalidades de jazz, balé clássico, sapateado e hip hop dance, mas direciona sua prática para a dança contemporânea. Foi professor de dança contemporânea e Jazz na Koinonia Escola de Formação em Dança (2018-2019) e é diretor e bailarino da Companhia de Dança Corpóreos desde 2017. Integra o Grupo de Pesquisa e Extensão em Artes Cênicas Nóis da Casa (2012) e já se apresentou por meio do grupo em três países (Chile, Peru e Bolívia), em nove estados do Brasil e em sete municípios do Acre. Foi docente do curso Assistente de Coreografia do PRONATEC/IFAC (2018). Participou como aluno e professor do projeto de dança intitulado Expressões Contemporâneas – Criação e Visibilidade/SESC (2014-2019).