Pular para o conteúdo
da amêndoa à barra

Acreanos inovam ao abrir loja de chocolates nacionais que priorizam o consumo mais saudável e consciente

Loja 'Além do Cacau' vende chocolates artesanais que seguem a linha bean to bar (da amêndoa à barra), de 14 marcas nacionais. O formato, que está virando tendência, consiste em acompanhar todo o processo de fabricação do produto, respeitando a cadeia produtiva do chocolate

Chocolates bean to bar são fabricados com acompanhamento de todo o processo produtivo. (Foto: Plano D Publicidade)

Você sabe como é produzido tudo o que você come? Este foi um dos questionamentos que o casal de acreanos Leandro Brasil e Halianne Peres fez ao decidir abrir uma loja, a “Além do Cacau”,  que vende apenas chocolates nacionais artesanais que seguem a linha bean to bar (da amêndoa à barra ou do grão), em Rio Branco. O formato, que está virando tendência, consiste em acompanhar todo o processo de fabricação do produto, respeitando a cadeia produtiva do chocolate.

Enquanto a maioria dos chocolates industriais são feitos a partir de uma massa de cacau, os chocolates bean to bar são feitos no mesmo local em que os grãos da fruta são produzidos. Além disso, tais chocolates não levam aromas artificiais ou corantes em sua composição, e são feitos com menos açúcar. “Umas das exigências aos nossos fornecedores é que eles comprem o cacau direto dos produtores, valorizem o produtor”, explica Luciano.

Apesar de países como  a Bélgica e Suíça produzirem uns dos chocolates mais famosos e reconhecidos, Leandro reforça o  questionamento sobre como tais doces são produzidos.  Para ele, em um período em que temos tanto acesso à informação, é preciso aproveitar os recursos para conhecer o que consumimos.

Loja foi inaugurada em dezembro de 2021 e conta com chocolates de 14 marcas nacionais. (Foto: Plano D Publicidade)

“Esses países, por exemplo, não produzem cacau, eles compram de fábrica. E como são as condições desse cacau? Por trás do nosso chocolate, sabemos que não tem nenhum trabalho análogo ao escravo, não tem trabalho infantil . A gente tem que escolher nossos produtos também baseados em princípios. As grandes indústrias fazem um jogo muito pesado”, reflete o empreendedor.

E para quem pensa que os chocolates famosos são apenas os de fora, Luciano revela que, entre os produtos das 14 marcas que eles vendem na loja, estão chocolates premiados internacionalmente, como a barra de chocolate de pé de moleque Priscyla França, que recebeu medalha de bronze pela Academia de Chocolate de Londres, em setembro de 2021. “A gente quer que as pessoas entendam que é possível consumir um chocolate muito bom, brasileiro e que respeite toda a cadeia produtiva do chocolate”, afirma Leandro.

Chocolate 48% de pé de moleque leva cacau, açúcar orgânico, leite em pó, pé de moleque e lecitina de soja. (Foto: Edson Marangoni/ cedida)

Da criança ao idoso

Ao decidir abrir um negócio, o casal pesquisou várias possibilidades, mas levou em conta a paixão de Halianne por chocolates. Eles contam que sentiam falta de bons chocolates na cidade e encontraram no famoso doce uma oportunidade. “É um produto interessante, que atrai da criança ao idoso. Então, fizemos uma pesquisa bem grande, a nível nacional, do que não chegava à nossa cidade e conhecemos a linha bean to bar,  a qual fomos estudando cada vez mais”, recorda Brasil.

Inaugurada há pouco mais de um mês, a loja do casal vende todos os quatro tipos de chocolates: ao leite, dark milk (meio amargo) , intenso (amargo) e o branco.  Eles ainda destacam uma variedade de sabores e produtos, como chocolates veganos e sem açúcar. Dentro das mais de 50 opções de chocolates da loja, é possível encontrar barras que levam açaí na sua composição, assim como chocolates com caramelo, gengibre e até cupuaçu.

“São marcas que, em sua maioria, não possuem lojas físicas e são vendidas em empórios, em cafeterias, ou online, por exemplo. A gente teve a idea de botar essa loja física e reunir as melhores marcas do país. Muita gente não conhece e, quando chega aqui, acaba ficando surpreso de ver chocolate brasileiro com destaque internacional”, relata Leandro.

E quando se fala em reconhecer a produção nacional, o casal faz questão de frisar que não se trata de uma franquia, mas de uma loja acreana. “Acho que o Acre tem capacidade de desenvolver bons serviços, boas lojas e que a gente é capaz de vender fora nosso modelo de negócio. Acho isso muito importante como empreendedor. Geralmente, quando você vai a um shopping,  quase não encontra mais nada local. O local acaba sendo massacrado. Mas, nós temos  visão de que o que é regional é muito bacana”, defende Leandro.

Casal Halianne e Leandro contam que sentiam falta de bons chocolates na cidade. (Foto: Plano D Publicidade)

Leandro conta que a loja teve boa procura, no período do Natal, e que espera poder trazer uma nova forma de ver e consumir o chocolate na região. “Queremos mostrar para a sociedade que você pode ter um chocolate com responsabilidade, que você saiba a origem dele. A gente não vende só chocolate, a gente vende um conceito, uma filosofia. É o que a gente vem buscando trazer não só aqui para o Acre como para o Brasil inteiro!”, afirma.

Serviço:

Loja Além do Cacau

R. Isaura Parente, 1240 – Isaura Parente. Pátio Blue, estacionamento da Bluefit

Leia também: Arte em forma de doces: após negócios frustrados, acreana se torna referência na produção de bolos decorados e docinhos gourmet