Casas ameaçam desabar na invasão da “Favelinha”

A-favelinha
Com a intensificação das chuvas na Capital, moradores da “Favelinha” – como ficou conhecida uma área de invasão localizada nas proximidades do bairro São Francisco – temem uma nova onda de desmoronamentos na região, como já ocorreu em anos anteriores. Portas e janelas empenadas são os primeiros sinais do avançado processo de erosão.

O local é de difícil acesso. Onde deveriam existir ruas, há becos apertados, impróprios ao trafégo de uma pessoa, que dirá de um veículo. Numa situação de emergência, os moradores são obrigados a caminhar uma longa distância até alcançar o asfalto.

A dona de casa Joice Andrade Nascimento não esconde a preocupação. Toda vez que chove a casa dela se distancia mais do nível do beco que dá acesso ao bairro. Rachaduras surgem por todos os lados, espalhando pânico entre os moradores. “Tenho medo de cair tudo e não dar tempo de retirar o meu irmão deficiente e as crianças”, diz ela apreensiva.

Segundo a Defesa Civil Municipal, cerca de duas mil famílias vivem em situação de risco em Rio Branco. Preventório, Cidade Nova, Cadeia Velha e Base estão entre as regiões mais afetadas. No período das chuvas a situação se complica.

Numa medida preventiva, homens do Corpo de Bombeiros realizam vistorias nas áreas e analisam a necessidade de remoção da área. Nesta semana foram visitadas residências na Cadeia Velha, próximas a obra da 4ª ponte. A visita foi solicitada pelos próprios moradores, mediante o aparecimento de rachaduras em vários terrenos.

 

Assuntos desta notícia

Join the Conversation