Pular para o conteúdo

Em nota, Helibras esclarece venda de helicóptero

Em nota de esclarecimento enviada ontem ao jornal A GAZETA, a Helibras, fabricante brasileira de helicópteros e que tem a Europter como uma de seus acionistas, esclareceu o processo de venda da aeronave modelo Esquilo AS350 ao governo acreano em 2009. Reportagem publicada na edição de ontem mostrava a investigação por parte do MPF (Ministério Público Federal) sobre a aquisição do aparelho pelo Palácio Rio Branco.

Divulgada pelo jornal “Correio Braziliense”, a denúncia dos procuradores apontava superfaturamento nos valores e direcionamento no processo de licitação. Segundo a Helibras, a empresa forneceu, no dia 23 de dezembro do ano passado, todas as informações sobre o contrato de compra e venda da aeronave solicitadas pelo procurador da República Ricardo Gralha Massia.  

Sobre a diferença nos preços dos helicópteros vendidos para outros estados, a Helibras diz que a variação ocorre por conta das características e necessidades de cada órgão público.

“Cada processo licitatório encerra um objeto de contratação que envolve a plataforma da aeronave, no caso o helicóptero Esquilo AS350, mais componentes específicos para o tipo de operação, mais serviços que sejam requeridos, mais eventual treinamento, cujo custo depende do local onde o mesmo será realizado, do total de pilotos e mecânicos a serem treinados”, explica trecho da nota.

Além disso, outros fatores influenciam no valor final da aquisição. O ano de compra, as condições financeiras e a flutuação cambial têm impacto direto no preço. No documento enviado ao MPF no Acre, a Helibras detalhou cada aeronave vendida para seus diferentes clientes, como a configuração, para mostrar a variação que há de um contrato para o outro.

“Os equipamentos e acessórios referentes a cada contrato foram detalhados, demonstrando que cada aeronave licitada tinha uma configuração específica e, desse mo-do, os diferentes valores contratuais corresponderam a essa diversidade”. No final, a Helibras destaca a transparência com que participa de todos os processos licitatórios em todos os estados.

No entanto, a empresa afirma que não se manifestará publicamente sobre o in-quérito do MPF enquanto as investigações ainda estiverem em andamento.

A Helibras
Em operação no Brasil desde 1979, a Helibras já produziu cerca de 500 helicópteros no país, sendo 70% no modelo Esquilo. Em 2008, seu faturamento chegou a US$ 121 milhões. A empresa tem uma participação de 50% no mercado nacional de helicópteros a turbina. Sua fábrica, na cidade de Itajubá (MG), tem uma capacidade de produção de 30 aeronaves por ano e emprega 300 profissionais. 

O ex-governador acreano Jorge Viana é atualmente o presidente do Conselho de Administração da Helibras. Ele tem tido um papel fundamental na venda das aeronaves para o governo Lula e outros aliados políticos.