Prefeitura forma agentes ambientais para atuarem no Riozinho do Rôla

formacao

As localidades São Francisco do Espalha, Macapá, Cachoeira e São Bernardo são as beneficiadas pelo Projeto de Formação de Agentes Multiplicadores Ambientais na Bacia Hidrográfica do Riozinho do Rôla. Financiado pelo Ministério do Meio Ambiente, por meio do Fundo Nacional do Meio Ambiente (FNMA) e executado pela secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semeia), em parceria com a secretaria Municipal de Agricultura (Safra), com a Coordenadoria Municipal do Trabalho e Economia Solidária (Comtes), além do apoio do governo do Estado, através do Instituto de Meio Ambiente Acre (Imac), da secretaria Estadual de Meio Ambiente (Sema) e da Universidade Federal do Acre (UFAC).

O objetivo é capacitar 40 jovens, entre homens e mulheres, para atuarem nas suas localidades como agentes multiplicadores ambientais, orientando seus vizinhos e parentes no uso dos recursos naturais, no trato com a terra quando da formação de seus roçados, além da participação mais atuante nas suas respectivas associações. Essa relação só vem fortalecer o desenvolvimento sustentável para a região.

Para o biólogo da Semeia e executor do projeto, Henrique Anastácio, a expectativa é que esses novos agentes ambientais transmitam esse conhecimento para outras pessoas da comunidade, formando, assim, uma verdadeira teia de boas práticas na bacia hidrográfica do Riozinho do Rôla. “O nome já diz, eles serão multiplicadores desses conhecimentos e a intenção é que isso seja repassado a todas as comunidades através deles”, afirmou Henrique Anastácio.

Henrique Anastácio disse, ainda, que além de serem multiplicadores de conhecimentos, eles estão se tornando cidadãos ambientais. “Eles estão cada dia mais conscientes das práticas ambientais. Detendo o conhecimento prático, passado de pai para filho ao longo dos anos”.

Segundo, Henrique Anastácio, a idéia da Semeia é expandir o projeto para outras áreas comunitárias como: a APA Irineu Serra, APA do São Francisco e Lago do Amapá.

Satisfeito com os resultados obtidos, Anastácio enfatiza que o projeto veio consolidar o planejamento da prefeitura de Rio Branco em relação à bacia do Riozinho do Rôla e segundo ele, a comunidade tem dado uma resposta positiva, sendo uma parceira dos órgãos ambientais.

Na região da bacia hidrográfica do Riozinho do Rôla residem, aproximadamente, 1,3 mil famílias. A principal atividade econômica é o extrativismo da castanha e da borracha. Com sua peculiaridade, a região do Riozinho do Rôla é um paraíso ecológico para várias espécies. “Cuidar bem desse ecossistema tem sido a preocupação do Município, por meio da Semeia”, afirma Anastácio.

O Curso

O curso de formação de agentes multiplicadores ambientais tem uma carga horária de 310 horas/aulas, dividido em seis módulos. São eles: elaboração e acompanhamento de projetos; manejo florestal de uso múltiplo dos recursos naturais; sistemas agroflorestais; silvicultura; adequação ambiental das propriedades; organização social e beneficiamento de produtos.
 

Assuntos desta notícia

Join the Conversation