Pular para o conteúdo

Viúva de Chico Mendes participa de sessão da Anistia

A viúva do ex-líder seringueiro Chico Mendes, Ilzamar Mendes, participa amanhã no auditório do Sindicato dos Metalúrgicos de São Paulo e Mogi das Cruzes da sessão da Comissão de Anistia, do Ministério da Justiça, que julgará os pedidos de anistia aos trabalhadores que se sentiram vítimas de atos autoritários do governo militar (1964-1985). Segundo ela, o convite foi feito pelo ministro Tarso Genro (Justiça).

Em 2008, durante os eventos que lembraram os 20 anos da morte Chico Mendes, os herdeiros do seringueiro receberam o pedido de desculpas do Governo Federal pelas arbitrariedades promovidas pelos militares. A família recebeu uma indenização de R$ 337 mil, mais uma pensão de R$ 3 mil para Ilzamar. Na opinião dela, muito mais importante do que a reposição financeira, o pedido de perdão pelo governo é um reconhecimento das atrocidades cometidas.

No evento de São Paulo, Ilzamar Mendes terá apenas participação como convidada, sem poder de interferência nos resultados dos 80 processos. Para a viúva, a perseguição e o sofrimento pelo qual os brasileiros passaram durante os anos de chumbo era o mesmo em qualquer ponto do país – do movimento sindical do ABC aos seringais da Amazônia.

“O Chico [Mendes] saia para ser interrogado mais não sabíamos se ele voltaria”, recorda Ilzamar. Para ela, a participação na caravana da Comissão de Anistia representa um reconhecimento da luta do ex-líder seringueiro no meio da floresta Amazônica durante a década de 1980. Criada em 2001, a Comissão de Anistia já desembolsou até agora R$ 2,6 bilhões em pagamento aos anistiados.