Governo entrega mosquiteiros contra a malária em Sena Madureira

O Governo do Estado, por meio de uma emenda parlamentar do senador Tião Via-na, realizou sábado, 30, em Sena Madureira, a entrega de 500 mosquiteiros especiais impregnados com inseticida que não apresentam risco à saúde humana, mas matam o anofelino – mosquito transmissor da malária.
A entrega foi realizada no município pelo secretário de Saúde, Osvaldo Leal, que entregou as unidades ao Padre Paulino Baldassari, vigário da Paróquia de Sena Madureira, que realiza atendimentos religiosos e de saúde aos índios e ribeirinhos e conhece de perto a realidade das pessoas que sofrem com a presença do mosquito transmissor da malária em suas comunidades.

“A entrega dos mosquiteiros ao padre Paulino é uma forma de reconhecer os inúmeros trabalhos que o servo faz nos rios da região. Nós já garantimos a entrega de outras unidades no Vale do Juruá. O governo vem investindo para evitar que pessoas sejam acometidas pela doença que afeta principalmente as pessoas que residem em locais de difícil acesso, e os mosquiteiros vão ajudá-las a se prevenirem da doença”, destacou o secretário.

Realizada na sede da Igreja Católica Nossa Senhora da Conceição, a entrega contou com a presença do diretor da Rádio Difusora de Sena Madureira, Rivaldo Severo; diretora do Hospital João Câncio Fernandes, Antônia Gadelha; médico Hasem e outras autoridades que também acompanharam o evento na cidade.

Fabricado na China, o mosquiteiro (quando usado para cama é chamado de cortinado) tem apresentado grande eficiência na derrota da malária nas regiões de alta incidência. A tecnologia foi desenvolvida pelo Vietnam e trazida ao Brasil pelo senador Tião Viana, que mobilizou a Organização Panamericana de Saúde (OPAS) e conseguiu trazer ao Acre um lote inicial de 70.000 mosquiteiros.

Os 500 mosquiteiros deixados em Sena serão distribuídos para as famílias de índios, seringueiros, ribeirinhos e outras populações do meio rural com os maiores índices de contaminação de malária. A distribuição será feita pelo Padre Paolino em várias localidades dos rios da região. “Recebo estas unidades com muita alegria, as famílias ribeirinhas sofrem muito com a malária, um investimento como este é de grande importância para amenizar o sofrimento deste povo que não dispõe de condições financeiras para se prevenirem da doença que atinge famílias inteiras na zona rural do município”, ressaltou o vigário.       
O mosquiteiro impregnado de inseticida dura em média cinco anos, podendo ser lavado quatro vezes ao ano, sem perder o seu poder de matar o mosquito anofelino. Além de se constituir numa barreira física, o mosquiteiro mata o inseto, reduzindo a circulação do parasita o que diminui o contato do inseto com o homem. (Agência Acre)

 

Assuntos desta notícia

Join the Conversation