Aberta temporada

Desde o início da semana diversas categorias partiram para as ameaças de paralisação e greves. Primeiro foram os médicos que ameaçavam cruzar os braços para a população (sim!) caso não fossem atendidos. Sentaram-se à mesa de negociação e suspenderam o indicativo de greve, pelo menos por enquanto.

Ontem, foi a vez dos trabalhadores em Saúde. Categorias que juntas somam mais de 5 mil servidores no Estado realizaram um protesto e ameaçam paralisar.

 Amanhã, policiais civis, militares e agentes penitenciários do Acre decidirão em assembléia se aderem ou não à paralisação nacional, prevista para iniciar na segunda-feira. Agora parem e reflitam. E se todas essas categorias de uma hora para outra resolvessem simplesmente parar  ao mesmo tempo? Sem dúvida, o caos estaria instalado.

E a pergunta que não quer calar é: de quem é a culpa? Dos governantes que sentam, negociam e fazem promessas que mais tarde não podem cumprir ou cumprem apenas em parte ou dos trabalhadores que ameaçam, páram, e muitas vezes prejudicam a população, sem pensar nas conseqüências? Não sei. O que sabemos é que com a saúde, a segurança e o bem estar da população não se brinca.

 

Assuntos desta notícia


Join the Conversation