Após atirar em rapaz, bando ateia fogo em casa

Nos últimos dias as gangues de bairros têm usado método semelhante de atacar os desafetos. Além de matar, ou tentar matar, os bandos rivais entre si encontraram um jeito de eliminar a possibilidade de quem sobreviver as tentativas de homicídio de retornarem para conviver no mesmo “território”.
Em menos de 15 dias duas casas foram destruídas por incêndios criminosos objetivando a expulsão de desafetos.

No dia primeiro desde mês, um jovem identificado pelo nome de Jonas dos Santos Silva, 19 anos, tentou matar a tiros a dona-de-casa Marlene Bira, 39 anos, que residia na Rua Bolívia, bairro Baixada da Habitasa, como não conseguiu alcançar o objetivo de pôr fim a vida da mulher, ele ateou fogo na casa da família, impossibilitando assim o retorno de Marlene e os filhos para o bairro.

Para impor ainda mais medo aos moradores do bairro, Jonas Santos, fez questão que todos soubessem que tinha sido ele o autor do incêndio criminoso, deixando um recado que todos estavam passíveis de sofrerem represálias semelhantes, caso atrapalhassem seu ramo de “negócio”, a venda de drogas.
Não satisfeito, Jonas matou com cinco tiros um morador do bairro. O crime aconteceu na frente de várias testemunhas inclusive crianças que brincavam na rua.

Ele foi preso no dia seguinte e confessou os crimes afirmando que quem morreu ou teve a casa incendiada é porque “atravessou” seu caminho, ou seja, o teria denunciado à polícia.

No início da noite de quinta-feira, 11, a residência da senhora Suzy Ferreira, 44 anos, na Rua Yoacre, bairro Jorge Lavocat, foi invadida por dois homens armados que efetuaram diversos tiros em direção as pessoas que estavam na casa, atingido Raimundo Anaildo, 23 anos, o “Paca” genro da proprietária.
Segundo informações, o bando tinha como objetivo matar Raimundo Anaildo, que é acusado de crime de homicídio.

A vítima foi socorrida por uma equipe de paramédicos do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e quando ainda recebia atendimento médico no local do crime, “Paca” deixou um recado para as pessoas que tentaram matá-lo. “Esses caras vacilaram comigo, quando sair do hospital eu vou matar cada um”.

Cerca de 20 minutos depois que a viatura do Samu saiu do bairro levando o ferido, a residência da sogra da vítima foi incendiada pelo mesmo bando que tentou matar Raimundo Anaildo.

A polícia ainda não conseguiu identificar os autores da tentativa de homicídio e do incêndio criminoso, e a vítima Anaildo não quis revelar à polícia quem são as pessoas que tentaram matá-lo, afirmando que ele mesmo vai resolver o problema. 

 

Assuntos desta notícia


Join the Conversation