Gazetinhas 08/04/2010

* Um, dois, três, quatro, cinco…

* … dez, onze, doze!

* Doze dias!

* Doze dias foi o tempo que a polícia levou para entrar oficialmente no caso do garoto Fabrício.

* É tempo demais! Demorou demais!

* E isso, leitor, porque o tio da vítima insistiu por seis vezes para ser ouvido na delegacia para que se começassem as investigações.

* É de lascar!

* Outra coisa que está perturbando o juízo, principalmente das mães e pais acreanos, é o caso do estupro do garotinho de seis anos.

* O professor acusado do estupro ainda não foi preso.

* Ninguém fala nada, ninguém diz nada.

* Como é que é? Ficou por isso mesmo???

* Tenham santa paciência!

* Aloôu!

* Será que vai ser preciso que aconteça alguma tragédia com um filho de secretário, de um deputado ou algum figurão da alta sociedade para que a polícia entenda qual é a sua missão?

* E as igrejas, a sociedade civil organizada? Não vão fazer nada???

* Que saudade dos tempos das vigílias, das manifestações, por onde anda aquele pessoal que pedia justiça por tudo e todos?

* As entidades dos Direitos Humanos bem que podia se manifestar ou provocar uma manifestação.

* No caso, a família do garoto Fabrício precisa, pelo menos, dar um sepultamento digno à ele e fazer uma missa.

* É o mínimo.

* E o Ministério Público Estadual? Não vai se manifestar?

* Que saudades também daquele pessoal do MPE que ia para as ruas medir a espessura do asfalto das obras do Orleir Cameli.

* Os fiscais da lei precisam sair dos gabinetes para defender a ordem jurídica, o regime democrático e os interesses sociais e individuais indisponíveis.

* Perdoe-me chefinho. Pára de reclamar do preço do cheiro-verde.

* Cheiro-verde dá num vaso na minha cozinha. Imagina quanto cheiro-verde você irá colher na Colocação Mulateiro?

* Plante que a Eliane garante!

* Outro “racha” envolvendo caminhões do município acabou com uma batida.

* Dessa vez, nenhuma criança morreu. O prejuízo só foi material.

* Por falar nisso, por onde anda o motorista que causou aquele acidente que ceifou a vida de um garotinho e colocou a mãe em estado grave no hospital?

* Ninguém fala nada, ninguém diz nada.

* E assim caminha a humanidade.

* Até quando?

 * Eliane Sinhasique – substituta.

Assuntos desta notícia


Join the Conversation