Binho inaugura nova Escola Maria Lima de Souza em Cruzeiro do Sul

O governador Binho Marques  reinaugurou  sexta-feira, 23, a Escola de Ensino Fundamental  Maria Lima de Souza, em Cruzeiro do Sul. Totalmente reformada e ampliada,  a unidade recebeu investimentos de R$ 1.838.974,83 em obras,  mobiliário e equipamentos, passando a contar com melhores salas de aula, sala de secretaria, sala de direção, sala de coordenação, sala de planejamento, laboratório de informática, biblioteca, cantina, almoxarifados, despensa e cantina. Estiveram presentes a secretária de Educação, Maria Correia; a deputada federal Perpétua Almeida; o vereador Paulo Soriano;  o presidente da Associação dos Moradores do Bairro da Cobal, Jonathan Santos, gestores, educadores e lideranças políticas e comunitárias, além da homenageada com o nome da escola, Maria Lima Souza, conhecida como Professora Mariquinha.
Binho-escola-cruzeiro
A Escola Maria Lima de Souza foi inaugurada em 19 de dezembro de 1998 pelo então governador Orleir Cameli, homenageando a Dona Mariquinha, uma profissional respeitada e reconhecida pelos mais de 35 anos de serviços dedicados à educação de Cruzeiro do Sul e sua antiga professora. Atualmente a escola atende mais de seiscentos alunos do 1º ao 9º ano do ensino fundamental, além do Projeto Poronga e Educação de Jovens e Adultos. Participa também do programa Mais Educação.

Binho Marques fez espe-cial referência aos educadores que têm no ensino uma luta de vida: “não adianta despejar fios de dinheiro se não tiver pes-soas apaixonadas pela educação”, disse, alertando, mais uma vez, que a juventude nunca esteve tão exposta à criminalidade e violência quanto nos tempos atuais. Para enfrentar essa grave situação, o papel da escola e dos professores é fundamental. “Nada é tão contagiante quanto a educação. Acho que a felicidade está muito perto da educação e temos de ter a felicidade de lutar pela educação”, declarou o governador.

A nova Escola Maria  Lima de Souza atende a moradores  dos bairros da Várzea, Remanso, Cobal e Telégrafo numa lógica de rede em que o estudante não precisa ir longe de sua região para continuar estudando: nesses mesmos bairros são encontradas escolas que atendem o ensino fundamental e médio. O zoneamento escolar facilita a matrícula e evita a sobra de vagas ou  superlotação. O governador reconheceu no ex-governador Orleir Cameli, em cujo mandato a escola foi construída, a tentativa de encontrar um modelo adequado  de escola. Nesse contexto, a secretária Maria Correia explicou que a reforma aproximou a escola do padrão estabelecido pelo governador, unidades com ambientes próprios para uma boa formação e para o melhor desempenho dos docentes e gestores.

Asfalto e quadra – A comunidade escolar reivindicou o asfaltamento da rua Amazonas, que se liga à Avenida Getúlio Vargas até próximo do Rio Juruá. “Uma escola tão bonita não consegue permanecer limpa por muito tempo por causa da rua que não tem asfalto”, disse a diretora Maria Francisca Pinheiro. Binho anunciou que o Departamento de Estradas de Rodagem, Hidrovias e Infraestrutura Aeroportuária do Acre (Deracre) irá pavimentar a rua. São cerca de duzentos metros para a ligação com a via principal.

Através de uma ação junto ao Ministério dos Esportes, a deputada Perpétua Almeida conseguiu os recursos necessários à construção de uma quadra poliesportiva na escola. “A quadra, como disse o governador Binho, se constitui também numa sala de aula”, disse a parlamentar.  

“Eu amo a educação”
Maria Lima de Souza nasceu em Mâncio Lima em janeiro de 1935 e fez seus estudos no Instituto Orfanológico  Santa Terezinha, em Cruzeiro do Sul, concluindo o curso normal em 1954 e iniciando sua vida profissional como professa dessa escola. Ali permaneceu até 1965 e depois transferiu-se para a Escola São José, onde trabalhou por mais de vinte anos, inclusive exercendo o cargo de diretora por vários anos.

Professora Mariquinha participou da educação de pes-soas hoje influentes na sociedade acreana, como a secretária Maria Correia – um modelo de educar pelo exemplo apresentado aos alunos pelo governador Binho Marques. “A professora Maria Correia, assim como nossa professora Maria Lima, é uma pessoa correta, dedicada à educação”, disse o governador. De seu lado, a Maria Lima  agradeceu emocionada o trabalho de recuperação da escola que leva seu nome. “Eu amo a educação”, resumiu a professora Mariquinha. O vereador Paulo Soriano ressaltou a importância dela para a educação do Juruá ao mesmo tempo que reconheceu o trabalho desenvolvido pelo governador. “Temos de reconhecer o grande trabalho que o governo vem fazendo. É uma justa homenagem à educadora tão importante como a professora Mariquinha”, disse o vereador.  

Floresta Digital até o final do ano em Cruzeiro do Sul
O governador anunciou que até o final do ano Cruzeiro do Sul estará iluminada com sinal do Floresta Digital, que é um  programa para universalização do acesso à Informação criado  pelo  Governo do Acre  que proverá  acesso livre e gratuito à internet para cidadãos em todo o Estado.

Nele contempla o planejamento e construção de uma rede estadual de banda larga que será a base ou infra-estrutura para comunicação de dados, voz e imagem. Permitirá  aplicações de governo eletrônico nas áreas de saúde, educação e segurança pública! Recursos na internet estarão acessíveis para todos. Prioritariamente, oferece acesso livre e gratuito à internet até as residências e acesso móvel em pontos públicos de acesso, interligando  escolas, postos de saúde, delegacias e outros entes administrativos governamentais, irá beneficiar entidades sociais e acadêmicas. Binho explicou que para captar o sinal, o usuário necessita apenas de um kit composto por antena e cabos que custa cerca de R$ 150.  

“Minha escola muito mais bonita”, diz estudante
Depois de passar quase quatro anos na Escola Maria Lima de Souza, a estudante Maria Silva dos Santos, de 14 anos, está concluindo o ensino fundamental. No final do ano ela recebe o certificado da oitava série e encerra um ciclo na trajetória que, pelos seus planos a levará com certeza à faculdade e às salas de aula (ela quer ser professora).  No entanto, ela está lamentando ter de deixar a nova Escola Maria Lima por causa das mudanças proporcionadas pela reforma e adequação ao padrão estabelecido pelo Governo do Acre. “Ficou muito mais legal, mudou bastante”, disse Maria operando um dos 17 computadores adquiridos para o laboratório de informática. Assim como a maioria dos estudantes da região, Maria tem poucas chances de ter um computador em casa mas, com o laboratório de informática e o Programa Floresta Digital, poderá acessar inclusive a internet. (Agência Acre)

Assuntos desta notícia

Join the Conversation