Pular para o conteúdo

Casos de sucesso são apresentados em Curso de Empresa Familiar

Após perceber que cerca de 80% das empresas acreanas são familiares, ou seja, fundadas e administradas diretamente por parentes próximos, o Instituto Euvaldo Lódi (Iel) – instituição integrante do Sistema Fieac, fechou importante parceria com a Fameta para a realização do curso “Empresas Familiares: Gestão e Sucessão”. A iniciativa, previamente apoiada pelo setor empresarial, traz inúmeras vantagens para a empresa e também para o Estado.

“Uma empresa bem estabilizada garante a competitividade e traz desenvolvimento para o Estado”, reforçou a superintendente regional do Iel, Socorro Bessa.

Casos de sucesso foram apresentados ontem, (9), no primeiro dia de curso pelas palestrantes Kátia Rezende Barbosa e Adriana Adler. Kátia destacou a “Cacau Show” como exemplo de empresa familiar bem sucedida, que começou com a fabricação de chocolate na cozinha de casa e hoje é a maior rede de lojas de chocolates finos do mundo, com mais de 650 lojas espalhadas no Brasil.

“Todos tem uma história parecida com o do jovem empreendedor da Cacau Show. Tudo começa com um sonho que a família ajuda a realizar, vira uma empresa que inicialmente é apenas para comprar uma casa, dá um futuro aos filhos, mas que com o passar do tempo pode se tornar uma grande empresa”, enfatizou.

O curso é voltado para sucessores, executivos, gerentes e sócios de empresas familiares do Estado, além de profissionais liberais (consultores). O tema do primeiro módulo foi “A empresa familiar do século 21”.

As aulas serão divididas em 12 módulos, com um ou dois encontros mensais de acordo com o cronograma a ser distribuído no início das atividades. O objetivo do curso é oferecer aos participantes uma visão sobre a dinâmica e os mecanismos de funcionamento da empresa familiar e, ao mesmo tempo, fornecer técnica e ferramentas gerenciais importantes para o dia-a-dia do negócio.

Para o aluno Itamar Júnior, um dos herdeiros do Colégio Meta, empresa que trabalha com educação no Estado há 30 anos, o curso lhe será de grande importância. Ele trabalha na parte financeira do colégio e está iniciando agora uma nova etapa da empresa, que começou a trabalhar com ensino superior, por meio da Fameta, da qual ele entrou como coordenador.

“Não é tão fácil trabalhar com o pai, com a mulher ou com o filho na mesma empresa. Mas precisamos saber que há muitas vantagens nisso, como a agilidade de tomada de decisões”, completa a palestrante Adriana Adler. (Ascom Fieac)