De olho no crescimento, empresários acreanos definem viagem à China

Com um mercado consumidor de mais de um bilhão de pessoas, a China é hoje a economia que mais cresce no mundo. Graças às taxas de crescimento que superam os 10%, o vigor do dragão chinês foi fundamental para evitar um colapso maior diante da crise financeira mais recente. De olho nesse mercado pujante, uma comissão de empresários acreanos embarca na próxima segunda-feira (12) para conhecer de perto essa realidade e tentar estreitar as relações comerciais do Estado com os asiáticos.
Empresarios-china
Na manhã de ontem, parte do grupo que viajará se reuniu para acertar os detalhes e sentir um pouco do clima de entusiasmo por parte do empresariado com a visita. Composta por 75 empresários, a comitiva reúne empreendedores das mais distintas áreas, desde a construção civil até a produção de carne. No campo político vão participar o senador Tião Viana (PT), o vice-governador César Messias e o prefeito Raimundo Angelim.

O primeiro ponto de parada na China será em Guangzhou, com quase 10 milhões de habitantes. A cidade é uma das mais ricas e desenvolvidas do país. Lá, vão participar de uma feira internacional de negócios que aglutina empresas de todos os cantos do mundo. Mais de um milhão de pessoas a visitam. Ainda em Guang-zhou, a comitiva conhecerá a FTZ, sigla em inglês para Free Trade Zone, a versão chinesa da ZPE (Zona de Processamento de Exportação).

Desde o ano passado os empresários acreanos plei-teiam para que uma ZPE seja instalada na região de Rio Branco. A ZPE é um instrumento de incentivo fiscal e tributário que tem com o objetivo atrair empresas e indús-trias para incrementar o desenvolvimento. “A China é hoje a bola da vez. Todo mundo está de olho nela pelo seu mercado consumidor e é hoje um dos maiores importadores de carne do mundo”, diz Assuero Veronez, presidente da Confederação da Agricultura e Pecuária do Acre.

Com uma produção de 100 mil toneladas de carne por ano, o Acre tem no mercado externo o grande comprador deste alimento. “Mais de 80% da nossa produção é enviada para São Paulo e de lá para os mais distintos cantos”. Veronez diz que a ida à China é uma forma de realizar a prospecção do mercado asiático e encontrar os caminhos para aperfeiçoar as relações comerciais.

Um desses caminhos, lembra o ex-governador Jorge Via-na, é a Estrada do Pacífico. Prevista para ser inaugurada ainda neste ano, a Rodovia Interoceanica, como também é chamada, será uma importante via para estreitar o comércio de compra e venda dos produtos brasileiros e chineses.  Por meio da estrada, o Brasil poderá exportar para a Ásia a partir dos portos peruanos do Pacífico, resultando numa economia de tempo e dinheiro.

Jorge Viana ainda ressalta o fato de a China ser o maior poluidor do mundo, contribuindo significativamente com a emissão de gases poluentes, principalmente vindos da queima de carvão para a produção de energia. O ex-governador e pré-candidato ao Senado afirma ser necessário a adoção de políticas públicas para que o fortalecimento desse intercâmbio comercial seja realizado com responsabilidade ambiental, além de o Acre saber tirar proveito de todo o cenário favorável exposto.

Alem de Guangzhou, os empresários vão conhecer Hong Kong e a capital chinesa Pequim.

Assuntos desta notícia

Join the Conversation