Pular para o conteúdo

Servidores da Administração Direta do governo também cruzam os braços

Os servidores da Administração Direta do Estado do Acre também decidiram cruzar os braços por tempo indeterminado ontem. No primeiro dia de paralisação apenas 4 das 20 secreta-rias que compõem a gestão estadual aderiram o movimento. São elas: Secretaria de Gestão Administrativa (SGA), Gabinete Civil, Acreprevidência e Secretaria de Planejamento.

De acordo com o presidente do Sindicato dos Servidores da Administração Direta (Sind-sad), Paulo Sousa, o movimento deve se fortalecer após o feriado, haja vista que uma comissão continua-rá percorrendo as secretarias convocando os servidores para a greve.

Em carta aberta aos gestores da base sindical das secretarias da Administração Direta, o Sindsad reclama que o governo não abre uma linha de diálogo e negociação continua, atuando de forma intransigente.

Segundo Paulo Souza, as perdas da categoria já somam 63,06%. Descontados os 12% de aumento concedidos no governo de Jorge Viana chega-se a uma perda do poder de compra dos servidores de 51,06%.

A base sindical do Sindsad é composta por cerca de 2 mil 500 servidores. Outra queixa é em relação ao tratamento diferenciado. “Eu mesmo trabalho numa sala onde eu ga-nho X e o meu companheiro ganha Y. A diferença, na maioria das vezes, é gritante”, revela.

Como proposta de reajuste o governo oferece 4,7% de forma linear aos servidores de nível superior sem atender as reivindicações de nível médio, o que a base considera injusto levando-se em conta o percentual das perdas. O governo acenou positivamente para discutir o assunto com a categoria na próxima quinta-feira, 22.