Justiça libera motocicleta que conduzia jovem morta por PMs em blitz de trânsito

Por decisão do juiz substituto da Vara do Tribunal do Júri da Comarca de Rio Branco, Gustavo Sirena, a motocicleta, tipo Honda CG 150 Titan ES, cor preta, ano 2005/2005, que conduzia a jovem Edna Maria Ambrósio, no dia em que ela foi morta no trânsito, foi liberada.

A restituição do bem, apreendido no dia da ocorrência, foi solicitada pelo advogado Evestrom do Nascimento Oliveira em favor de Jeremias de Souza Cavalcante, proprietário da motocicleta e namorado da vítima.

O Ministério Público Estadual (MPE) se manifestou contrário ao pedido, mas o juiz entendeu que a motocicleta apreendida não mais interessa ao processo, em decorrência de não haver necessidade de realização de perícia.

Edna Ambrósio foi morta a tiros de fuzil durante uma blitz de trânsito no dia 25 de fevereiro deste ano. Ela era conduzida por Jeremias, que segundo denúncia oferecida pelo MPE, teria furado o bloqueio e dado causa a reação dos policiais.

O jovem responde a processo na modalidade de homicídio culposo – quando não há intenção de matar. Já os dois policiais militares acusados de efetuar os disparos foram denunciados por homicídio qualificado e terão que enfrentar o júri popular.

 

Assuntos desta notícia

Join the Conversation