Começa assim

A Polícia, o Ministério Público, por suas atribuições, precisam investigar com rigor o assassinato desse ex-interno da Pousada do Menor. Não foi um crime qualquer. Foi uma execução sumária e tudo leva a crer que tenha relação com a morte de um soldado da Polícia Militar.

Ao que consta das informações da própria Polícia, o rapaz teria saído há poucos dias da Pousada e foi morto com quatro tiros, de madrugada, com uma pistola semi-automática por dois homens em uma motocicleta.

Não se trata de tomar a defesa de quem quer que seja. Trata-se de chamar a atenção das autoridades e instituições para um fato delituoso, com desdobramentos graves. Foi assim que, anos passados, começou e prosperou neste Estado o ‘esquadrão da morte’ e depois o crime organizado, cujas conseqüências se conhece.

Aliás, nos últimos tempos, têm surgido com freqüência outros casos semelhantes de se fazer justiça com as próprias mãos. Isso atenta contra o Estado de Direito, encoraja a impunidade e a pistolagem.

De outra parte, cabe também a essas mesmas instituições averiguar que tipo de recuperação se está fazendo na Pousada do Menor. Boa coisa não deve ser, a julgar pelo envol-vimento de egressos em todo tipo de infrações.  

Assuntos desta notícia

Join the Conversation