Estudantes e Professores do Acre visitam a Usina Jirau em Rondônia

Uma comitiva composta por estudantes e professores de instituições públicas de ensino de Rio Branco (AC), das áreas de Engenharia Elétrica, Segurança e Meio Ambiente, visitou a Usina Hidrelétrica Jirau no sábado, 16. O grupo veio conhecer pessoalmente o projeto e conferir o andamento das obras na quarta maior usina em potência instalada do Brasil (3.750 MW).

A excursão foi coordenada pelo deputado federal Sibá Machado (PT-AC), que já fez parte do conselho administrativo da concessionária Energia Sustentável do Brasil e acompanha o projeto desde o início. “Queríamos que nossos alunos e professores conhecessem a magnitude que é Jirau”, diz o parlamentar.

O deputado informa que o Acre está recebendo um Centro de Excelência em Energia, voltado à pesquisa e à qualificação de mão de obra nesta área. A intenção do Governo Federal e da Eletrobrás, que financia o projeto juntamente com outras empresas, é que o Estado se torne um pólo de pesquisa e formação de especialistas em sistemas energéticos. A ideia é fixar profissionais e estimular o desenvolvimento da região amazônica, onde há um grande potencial de geração de energia elétrica. O Acre foi escolhido por estar próximo a grandes empreendimentos, como as Usinas Jirau e Santo Antônio, além das respectivas linhas de transmissão.

A visita à Usina Jirau foi uma espécie de aula prática para alguns dos profissionais que serão beneficiados com a construção do Centro de Excelência. No Centro Integrado de Educação Ambiental da obra, os participantes assistiram a um vídeo e uma apresentação do empreendimento e depois seguiram para as frentes de trabalho, como a Casa de Força da margem direita e o Vertedouro. Também conheceram o atracadouro, estrutura de alojamentos, áreas de lazer e refeitório, onde almoçaram. E em seguida, foram ver de perto o projeto urbanístico de Nova Mutum Paraná, construída para receber as famílias do antigo distrito de Mutum Paraná.

Os visitantes ficaram impressionados com o projeto, principalmente devido sua dimensão. “Eu já tive a oportunidade de visitar a hidrelétrica de Itaipu, depois de concluída. Ver assim, em construção, é ainda mais impressionante. O que mais chama atenção é que o projeto, que está localizado na Amazônia, leva em consideração as características naturais da região”, fala o professor de física da Universidade Federal do Acre (UFAC),Alejandro Fonseca.

Para o Pró-Reitor de Planejamento da universidade, Francisco Eulálio Alves dos Santos, o que mais chamou atenção foi o volume de terra e rocha movimentadas e o de materiais empregados. “Quero parabenizar as empresas que constroem esta obra, pois acredito que não seja fácil disciplinar um rio como o Rio Madeira, sem prejudicá-lo. Também fiquei impressionado com os programas de compensação e os investimentos realizados para que tudo isso aconteça”, diz o professor.

Apesar de já conhecer o projeto, o deputado Sibá Machado também se impressionou. “Afastei-me do conselho em março de 2010, para concorrer às eleições, e depois não tinha mais estado na obra. É muito gratificante voltar e ver como evoluiu”, ressalta o deputado. (Do site Arequimesonline.com.br)

Assuntos desta notícia


Join the Conversation