Varejo do Acre supera metas em maio e é destaque nacional em pesquisa do IBGE

O mês de maio deste ano foi, definitivamente, melhor do que o de 2010! Pelo menos é o que constata a Pesquisa Mensal do Comércio do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), finalizada nesta semana. O levantamento revela que o comércio varejista do Acre teve o 2º maior boom anual de todo país em maio deste ano, com alta de 19% sobre o mesmo mês em 2010. Tal ritmo anual de crescimento foi tido pelo IBGE como ‘impressionante’.

De fato, a marca acreana foi 3 vezes maior que o ritmo nacional, que foi neste maio 6,2% acima do de 2010. À frente daqui, só Tocantins teve um upgrade anual maior no seu Varejo, atingindo um recorde de 26%. Completa o top 5 dos que obtiveram melhores resultados no comparativo de maios de 2010 e 2011 os estados de Paraíba (15,3%); Maranhão (10%) e Minas Gerais (9,6%). Sobre grandes pólos econômicos, como São Paulo (5,5%) e Rio de Janeiro (9,4%), o Acre teve um resultado 345% e 202% melhor, respectivamente.

No acumulativo do ano, o IBGE aponta que o crescimento no varejo nacional é de 9,2% se levado em conta o acumulativo dos últimos 12 meses, de maio de 2010 a maio deste ano (do Acre é de 18,6%: o quinto maior do país). Já no acumulativo deste ano, de janeiro a maio, a média nacional é 7,4%, enquanto no Acre é de 15% (terceiro maior do Brasil).

Já no comparativo entre maio e abril deste ano, o Acre não figura como grande destaque, mas também não deixa de seguir de perto a tendência do país. O varejo local marcou em maio uma taxa de 0,4% de superioridade sobre abril, ficando a 2 décimos da média nacional (que foi de 0,6%). Vale ainda destacar que além do Acre, apenas 12 estados apresentaram valores positivos de avanços varejistas entre maio e abril. Neste quesito, o pódio ficou com Mato Grosso do Sul (7%); Rondônia (5,1%); Rio Grande do Norte (1,3%) e São Paulo (1,2%).

Segundo analistas econômicos, maio foi um bom mês para levantar os faturamentos dos varejistas do Acre e mais destes 12 estados devido às boas vendas do Dia das Mães (que tiveram mais dias úteis para ajudar), à positividade da linha de Moveis e Eletrodomésticos, às baixas generalizadas de preços e ao aumento na quantidade de financiamentos. Com efeito, 6  dos 8 setores varejistas cresceram entre maio e abril. Porém, ainda conforme os especialistas, será difícil o varejo manter nos próximos meses o mesmo ritmo de maio.            

 

Assuntos desta notícia


Join the Conversation