Jorge Viana comemora boa fase do Brasil frente à crise da Europa e dos Estados Unidos

 Em seu balanço do semestre legislativo, o senador Jorge Viana (PT-AC) fez um registro nesta sexta-feira (15) do sucesso da presidente da República, Dilma Rousseff, no controle da inflação, ao fazer cortes no Orçamento e garantir o equilíbrio fiscal. Para Viana, o Brasil vive uma “posição privilegiada” após a crise financeira mundial de 2008, não só por tê-la superado rapidamente e alcançado um crescimento de 7,5% em 2010, mas por estar afastado dos sobressaltos econômicos da Europa e dos Estados Unidos.

-Brasil concilia hoje desenvolvimento e crescimento. O Brasil saiu de uma situação em que alguns que defendiam algumas teses econômicas ultrapassadas falavam sempre que o Brasil precisava primeiro crescer para depois se desenvolver, que não tinha como distribuir renda, que tinha de, primeiro, acumular riquezas para depois pensar na distribuição. O governo do presidente Lula inverteu essa lógica e o Brasil cresceu e se desenvolveu ao mesmo tempo – declarou.

 Jorge Viana elogiou Lula por ter conseguido eleger sua sucessora, exaltou as qualidades de Dilma Rousseff, que estaria fazendo um governo com “firmeza e sensibilidade política”, aplicando medidas voltadas para a justiça social. Destacou também sua capacidade e integridade, que considera “princípios fundamentais” em um governante.

Programas assistenciais

 Ao fazer um balanço das ações governamentais, o parlamentar citou a segunda etapa do Programa Minha Casa, Minha Vida, com a previsão de construção de 2 milhões de moradias. Segundo o senador, trata-se do maior programa do gênero em implantação no mundo na atualidade.

– Nenhum outro país tem um programa como esse – disse o senador, que anunciou planos da presidente de ampliar o programa juntamente com a iniciativa privada.

 Também mencionou o Programa de Combate à Miséria Extrema, com objetivo de retirar 15 milhões de famílias dessa situação de risco.Ele explicou que se trata de uma continuidade do Programa Bolsa Família, implantado por Luiz Inácio Lula da Silva.

Reforma política e Código Florestal

 Sobre as atividades legislativas no Senado, Jorge Viana destacou a aprovação de uma política de ganho real para o salário mínimo e considerou o primeiro semestre muito produtivo. Também elogiou a instalação de comissão especial para analisar os diversos temas da reforma política, mas disse ter sugerido ao presidente do Senado, José Sarney, que, na próxima etapa de votação das propostas, seja escolhido um senador “responsável pela articulação política”.

 Isso, a seu ver, evitaria o impasse gerado na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ), entre a escolha da lista fechada, defendida pelo PT ou do sistema do “distritão”, sugerido pelo senador Francisco Dornelles (PP-RJ), nas eleições para deputado e vereador. Ambas as propostas acabaram derrotadas, lembrou.

 O senador manifestou satisfação por ter sido escolhido para relatoria na Comissão de Meio Ambiente, Defesa do Consumidor e Fiscalização e Controle (CMA) do Código Florestal. Por já ter vínculo anterior ao tema, Viana assinalou a importância de conjugar a produção agropecuária com uma economia florestal capaz de garantir o desenvolvimento sustentável.

 Por fim, Jorge Viana lamentou a morte, no dia 2 de julho, do ex-presidente e senador Itamar Franco, do PPS de Minas Gerais. (Agência Senado)

Assuntos desta notícia


Join the Conversation