“Guerra suja”

Algumas medidas já foram tomadas para proteger indigenistas e índios isolados na fronteira do Acre com o Peru, atacados por narcotraficantes e mercenários, mas não são suficientes, porque se trata de uma verdadeira “guerra suja” que vem ocorrendo há anos na região e só tende a aumentar.

Como se recorda, há vários anos, alguns indigenistas, como José Meirelles, Terry Aquino e outros vêm alertando sobre essa situação explosiva. Pouco ou nada se fez, a não ser dar publicidade aos fatos. Mesmo assim, a Funai e outros órgãos responsáveis pela questão indígena têm-se mantido omissos.

Trata-se sim de uma “guerra suja” envolvendo o narcotráfico, madeireiros, mercenários tentando fincar seus tentáculos e no meio do fogo cruzado, as comunidades nativas – seringueiros, ribeirinhos e os chamados índios isolados.

E por envolver grupos ou indivíduos perigosos, fortemente armados, chegou a hora também de os governos dos dois países entrarem em ação, com a força necessária, para evitar que aconteça o pior. 
  

Assuntos desta notícia


Join the Conversation