Pular para o conteúdo

Vereador segue preso e aguarda julgamento de habeas corpus

O vereador de Cruzeiro do Sul, Marcos Lima Verde (PMDB) preso há 20 dias suspeito de exploração sexual de menores aguarda o julgamento de um habeas corpus impetrado pelo advogado Frederico Felipe, no TJ/AC. Segundo o advogado a ação foi protocolada no final de dezembro, mas o recesso do judiciário pode ter adiado a análise.

A polícia e o Ministério Público não fornecem maiores informações já que o caso corre sob segredo de Justiça. O advogado do vereador disse que já tomou conhecimento das denúncias, no entanto, também não pode entrar em detalhes. “O que nós entendemos é que não há elemento jurídico algum para o vereador estar preso nesse momento e estou aguardando uma resposta do tribunal”, comenta.

Marquinhos, como é conhecido o vereador, foi preso por determinação judicial no dia 20 de dezembro, enquanto participava de uma sessão na Câmara de Vereadores. Ele vinha sendo investigado pela Polícia Civil por solicitação do promotor Alekine Lopes da Vara da Infância e da Juventude. O promotor confirmou que havia recebido denúncias sobre crimes de exploração sexual de menores envolvendo o vereador que também é professor da Ufac.

O presidente da Câmara de Cruzeiro do Sul, Romário Tavares, disse que a Câmara permanece de recesso e quando voltar a assessoria jurídica vai indicar que medidas devem ser tomadas, caso o vereador permaneça na prisão. Romário Tavares disse ainda, que a Câmara vai aguardar o andamento do processo para se posicionar sobre uma possível cassação por quebra de decoro parlamentar.

O vereador Marquinhos ocupa sozinho uma cela do novo pavilhão do Presídio Manoel Néri da Silva, em Cruzeiro do Sul. Ele recebe a mesma alimentação dos demais presos e também tem direito a um aparelho de TV. (Genival Moura, Do G1 AC)