Governo descarta desabastecimento pelos próximos 20 dias

 Por conta da corrida aos postos feita na segunda, as distribuidoras Equador, Shell e Ipiranga já estão sem combustível. Governo tenta transparecer calmaria e garante que abastecimento de gasolina está normalizado via Cruzeiro do Sul. A orientação aos consumidores é não fazer estoque do produto. “Não é hora de especulação”, promete o presidente do Sindicato do Comércio e Varejo de Combustível no Acre, José Magid. Materiais de construção, pelos cálculos oficiais, têm fôlego para mais uma semana “com tranquilidade”. Estoque regulador de cimento é estimado em 20 mil sacas

 A interrupção da BR-364 na região do município rondoniense de Jacy-Paraná (localizado a 100 quilômetros de Porto Velho), por causa das chuvas, deixa isolado o estado do Acre. A estrada é a única via de ligação rodoviária do estado com as demais regiões do país.

 Três distribuidoras de combustível já estão com estoques esgotados: Ipiranga, Equador e Shell. Na segunda-feira à noite, já se formavam filas nos postos da capital. Vendeu-se em um dia o volume de gasolina consumido normalmente em três. A situação levou o governo do Acre a montar um gabinete de crise, coordenado pelo próprio governador, para acompanhar e gerenciar a situação.

 Tião Viana convocou ontem pela manhã uma entrevista coletiva, acompanhado de empresários do setor de combustível, distribuição de alimentos, medicamentos e da construção civil. O esforço do grupo tinha como objetivo mostrar as providências tomadas diante do problema e apelar para que os consumidores não façam estoque do produto.
“Conversamos com a BR Distribuidora que nos assegurou que tem, em Cruzeiro do Sul, estoque suficiente para nos atender, em gasolina, para os próximos 20 dias”. Há estoque de diesel para Rio Branco para dez dias, sem necessitar do Juruá como ponto de logística.

 A cidade de Cruzeiro do Sul normalmente já armazena combustível (durante o inverno) como forma de se preparar para o verão, quando as balsas não conseguem trafegar nos rios da região. “É essa logística de inverno que vai nos atender com tranquilidade”, garantiu o governador.

 O Governo do Acre também acionou a representação do Brasil no Peru. “Caso seja necessário, vamos garantir o abastecimento de combustível com o produto chegando via portos de Illo, no Peru”, afirmou Viana. São dois dias de viagens de Illo até Rio Branco.

“Não é hora de especulação”, garantiu o presidente do Sindicato do Comércio e Varejo de Combustível no Acre, José Magid, descartando qualquer possibilidade de aumento do preço do produto. “Não é preciso estocar produtos. Não há necessidade”.

 O estoque regulador de cimento, de acordo com os empresários, também está normalizado. Há, atualmente, cerca de 20 mil sacas. “O estoque para construção civil está oscilando muito. Vai depender do consumo, mas temos uma semana de tranquilidade”.

 Além da questão da interrupção da BR-364 por conta das águas do Rio Madeira na cidade de Jaci Paraná, outro problema agrava a situação. A comunidade no entorno da cidade protesta, alegando que antes das obras das usinas hidrelétricas, esse problema não ocorria. A reclamação foi aceita pelo Ministério Público de Rondônia.

 A relação entre as obras das usinas e o problema da alagação na região de Jaci Paraná é descartada pelo Governo do Acre. “Até que provem o contrário, é achismo”, alfinetou o governador Viana. “Até que técnicos que provem que tem a ver… como querem alguns ambientalistas que são contra as hidrelétricas… é achismo”.

Assuntos desta notícia


Join the Conversation