Aleac reúne entidades para instalar Comissão que investiga possível influência de hidrelétricas

Comissao DL 0205Com o cancelamento da visita que seria feita ontem, 6, pelos deputados estaduais à região cobertas pelas águas do Rio Madeira, em Rondônia, os parlamentares resolveram se reunir ainda na manhã de quinta-feira, para instalar a Comissão Especial que investigará as possíveis causas que ocasionaram a grande enchente.

Segundo o deputado Moisés Diniz (PCdoB) o objetivo é apurar e responsabilizar os possíveis culpados pelo incidente, se houver. De acordo com ele, o Acre não pode ser prejudicado por ações de alguns.

“Precisamos pensar política de longo prazo. Agora é a mão do homem que está fazendo o gol contra. Vivemos num paraíso, mas que é muito frágil”, defendeu Moisés Diniz.

A Comissão é formada pelo corpo técnico de engenharia da Universidade Federal do Acre (Ufac), da Fundação de Tecnologia do Acre (Funtac), Sindicato dos Engenheiros, Conselho Regional de Engenharia e Arquitetura, Conselho Regional dos Economistas e Ordem dos Advogados do Brasil (OAB/AC).

Na reunião foi colocada, também, a fragilidade em que se encontra o Estado com a cheia repentina do Rio Madeira. Segundo integrantes da Comissão, pode haver racionamento de energia, além de produtos alimentícios, pois a previsão é que a cheia ainda se estenda até o final de março.

A instalação da Comissão Especial que analisará a cheia do Rio Madeira ainda passará pela votação do plenário da Casa na próxima terça-feira, 11. O instituto Brasileiro de Meio Ambiente (Ibama) não participará da Comissão tendo em vista que foi o órgão que concedeu as licenças para a construção das hidrelétricas de Jirau e Santo Antonio. O pedido de não participação na Comissão foi feita pelo superintendente regional do órgão, no Acre, Diego Selhorst. (Foto: Cedida)

Assuntos desta notícia


Join the Conversation