Punição branda dá nisso

Mais uma vez o Centro da cidade parou por causa de um assalto malsucedido e que terminou com o bandido fazendo refém. A polícia e demais instituições da Segurança Pública foram certeiras: interditaram a rua, prenderam o primeiro assaltante, negociaram com o segundo, fizeram ele pensar que estava ‘no poder’, atenderam seus ‘desejos’ e depois o pegaram também. Deu tudo certo!

Mas não podemos depender sempre de um trabalho policial bem executado. Situações como esta têm que acabar. Nosso sistema em geral, incluindo principalmente os executores da Lei, está dando brecha para este tipo de prática perigosa e imprevisível. Se a moda pega, uma tragédia pública iminente acontecerá.

No dia 10 de outubro do ano passado, há 6 meses, todo mundo lembra dos outros bandidos que fizeram o mesmo, só que com reféns em uma casa lotérica. O mínimo que poderíamos esperar após uma mega operação policial bem-sucedida que resultou na prisão deles é que estes criminosos fossem severamente punidos.

Não foram…

No final do mês passado, a 3ª Vara Criminal de Rio Branco condenou os 2 assaltantes da lotérica a 11 e a 8 anos de prisão (tempo que deve ser reduzido com bom comportamento, dias de trabalho, progressão de pena, etc). Moral da história: causar pânico generalizado na cidade dá só alguns anos de cana. Não pode. Nossas leis precisam mudar, assim como os aplicadores dela.

Assuntos desta notícia


Join the Conversation