Sindicalismo responsável

A atividade sindical é extremamente importante para a sociedade. Há quem desmereça. Há até quem tente minimizá-la. No entanto, as relações de trabalho precisam ser criticadas quando há suspeitas de injustiças contra o trabalhador. Faz parte do jogo da democracia.

Ao mesmo tempo em que uma função se torna tão importante, cresce a responsabilidade e o compromisso social em cima dela. Nos últimos dias, está acontecendo alguns casos em que a liderança sindical está se tornando mais do que ativa. Passou a um lado chamativo e exagerado.

Primeiro, houve o ‘barraco’ na votação da Câmara Municipal sobre conceder ou não a isenção do ISS a empresas de transporte coletivo. A imagem do vice-presidente da CTB saindo preso por policiais gritando não é exatamente o barulho que se espera ouvir de sindicalistas.

Ontem, surgiu a denúncia de que cobradores foram demitidos por supostos ‘golpes contra as catracas’ de ônibus. Espalhou-se um boato, entre entidades sindicais, que esta seria um tipo de retaliação associada à demora na aprovação da lei de isenção de impostos às empresas. Não foi muito responsável. Uma coisa é uma coisa.

Sindicatos têm mesmo que fazer barulho. Ser a voz do trabalhador. Só que esta voz não pode ser irresponsável.

Assuntos desta notícia