Lutador morre com suspeita de leptospirose

 Conhecido como Bebeto, o lutador Euriberto Pereira Gomes Neto, 20 anos, morreu neste último domingo, 15, em Rio Branco. Lutador de taekwondo e cabo do Exército Brasileiro, Bebeto deixou a esposa e um filho recém-nascido, de apenas 13 dias.

Em entrevista para um site de notícias local, Gildomar Pereira Gomes, tio do lutador, afirma que o sobrinho procurou atendimento na Upa da Sobral, no sábado. Na Upa foi informado para que procurasse atendimento no Hospital de Urgência e Emergência de Rio Branco (Huerb). Mas, ainda de acordo com a família, Bebeto só foi atendido na Upa do 2º distrito.

O lutador foi internado e liberado por volta de 4h de domingo. No final da manhã de domingo, voltou a passar mal e se dirigiu para a Upa do 2º distrito e Huerb, mas já era tarde.

Ainda segundo a família, Bebeto veio a óbito com suspeita de leptospirose. Ele teria ajudado na mudança da sogra, que é moradora do bairro João Eduardo, um dos 57 que foram atingidos pela cheia histórica do Rio Acre.

Na manhã desta segunda-feira, 16, em entrevista à TV Acre, o secretário Estadual de Saúde, Armando Melo, disse que o caso será investigado. Caso a negligência médica seja confirmada, todos os envolvidos serão punidos.

Cerca de 200 suspeitas de leptospirose são registradas

Entre os meses de fevereiro e março deste ano, cerca de 200 casos de leptospirose foram registrados no município. Foi nesse período que Rio Branco sofreu com a enchente histórica do Rio Acre.

De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, só em fevereiro, 150 casos foram notificados. Destes, 13 foram confirmados, 64 descartados e 81 esperam o resultado do exame. Apesar de alto, o número é inferior ao de fevereiro de 2014, que foi de 235 casos confirmados. Já em março deste ano, 50 casos suspeitos já foram registrados.

Secretaria de Saúde alerta para o perigo

A secretaria de Saúde de Rio Branco (Semsa) intensificou o trabalho de prevenção contra a doença, através da distribuição de folders, visitas domiciliares e orientações. A leptospirose é contraída no contato com água contaminada pela urina de rato e é comum durante enchentes e períodos pós-enchentes.

Para o secretário Municipal de Saúde, Otoniel Almeida, o momento é de alerta. “Queremos evitar que haja o aumento de casos como em 2014. Por isso, apostamos na prevenção e apelamos para que as pessoas evitem o contato com as águas da alagação”, disse.

Em caso de contato com águas que podem estar contaminadas, o uso de luvas e botas é indispensável. “Caso a pessoa não tenha esses itens, poderá usar até sacolas plásticas nas mãos e pés”, esclareceu Otoniel.

 

 

 

 

Assuntos desta notícia