Pular para o conteúdo

O legado de Chico Mendes

Mesmo com todas as tentativas de ofuscar ou mesmo de apagar sua memória e seu legado, neste domingo, os acreanos da resistência e resiliência relembram os 30 anos do assassinato premeditado e covarde do líder sindical e ecologista Chico Mendes.

Sobretudo no atual Governo, presidido por um psicopata, que quer destruir a Amazônia com a exploração selvagem de sua floresta com sua rica biodiversidade e foi execrado pelas nações civilizadas, é preciso resistir e resistir sempre. Mesmo que seu ministro do Meio Ambiente, um ignorante imbecil, teve a estupidez de perguntar “quem é Chico Mendes”.

Ele deveria saber que sem a luta de Chico Mendes, os chamados povos da floresta e entidades nacionais e internacionais, a Amazônia, e de modo especial o Acre, não estaria com mais de 80% de sua floresta em pé, preservada.

Assimilando, no começo, o mesmo discurso insano do Governo Federal, o Governo local também chegou à irresponsabilidade de incentivar as derrubadas e queimadas. Com a decisão de alguns países, que vinham apoiando projetos de conservação com  mais de R$ 100 milhões, voltou atrás. Atualmente, pelo menos, já admite que é possível desenvolver o Estado sem a devastação. Uma questão ainda a conferir.

O que essa gente não entendeu ainda é que o próprio Chico Mendes não era refratário ao desenvolvimento sustentável. Só para recordar, uma semana antes de ser assassinato, estava feliz por ter conseguido um caminhão para o Sindicato dos Trabalhadores transportar seus produtos para a cidade.