Falta de cinema na pandemia e perda de momentos de lazer e diversão são principais queixas da suspensão de atividades culturais

O levantamento Itaú Cultural/Datafolha também investigou de que atividades culturais os brasileiros mais sentiram falta durante o período de suspensão social.

Da base total dos respondentes, 30% disseram que ir ao cinema foi o que mais fez falta neste período de paralisação das atividades culturais presenciais.

Participar de shows musicais foi mencionado por 24% dos entrevistados. 7% disseram sentir falta de bibliotecas, 5% de atividades infantis, 4% de ir ao circo, mesmo percentual dos que lamentaram ter deixado de ir a Centros Culturais.

Outros 3% sentiram falta de eventos de dança, mesmo percentual dos que mencionaram ter sentido falta de ir a museus e teatros. Saraus foram mencionados por 1% dos entrevistados. 16% disseram não ter sentido falta de nenhuma dessas atividades durante a pandemia.

 

Entretenimento lidera avaliação

Para 38% dos entrevistados deste estrato, o fechamento de atividades culturais representou falta de entretenimento e diversão durante a pandemia, em avaliação do total dos respondes ouvidos pela pesquisa.

20% se ressentiram da interação com outras pessoas, proporcionada por estas atividades. 12% foram impactados pela lacuna no lazer em família e 8% se queixaram de deixar de encontrar os amigos nestas ocasiões.

6%, por sua vez, viram na interrupção de atividades culturais presenciais a perda de oportunidade de ampliar conhecimentos e 3% se queixaram do impacto nas atividades infantis.

5% disseram ter sensações negativas por conta da falta de atividades culturais, 6% não souberam informar e 16% não sentiram falta deste tipo de atividade. (Assessoria Itaú Cultural / Conteúdo Comunicação)

Assuntos desta notícia