Em três meses, Bope apreendeu 20 armas de fogo e mais de 173 kg de drogas no Acre

O Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope) da Polícia Militar do Acre (PMAC) revelou, nesta semana, o resultado operacional da unidade militar nos meses de setembro, outubro e novembro.

De acordo com os dados apresentados pelo Setor de Análise Criminal, nos últimos três meses, a tropa de elite do Acre realizou 117 operações, que resultaram na abordagem a 1.500 pessoas. No período, foram conduzidas à delegacia 97 pessoas, 20 armas de fogo foram retiradas de circulação e, ainda, foram apreendidos mais de 173 kg de entorpecentes. Os policiais também apreenderam mais de R$ 42 mil no trimestre.

Em três meses, Bope realizou 1.500 abordagens (Foto: Arquivo ASCOM/PM)

O Bope é composto por quatro companhias, Companhia de Operações Especiais (COE), Companhia de Choque (Cpchoque), Companhia de Policiamento com Cães (Cpcães) e Companhia de Rondas Ostensivas Tático Móvel (Rotam), unidades capacitadas para atuar em situações de maior complexidade.

Para o comandante do Bope, major Fredison Araújo, o resultado positivo nesses três meses é fruto de treinamento e do trabalho da Assessoria de Inteligência da PMAC, além do empenho das guarnições e do apoio da Polícia Federal.

“É o esforço dos militares do batalhão, as companhias têm atuado dentro da sua especialidade. Prestamos apoio ao interior, intensificamos o treinamento e atuamos com cães nas operações”, pontuou o comandante da unidade especializada.

A Assessoria de Inteligência mapeia as rotas de tráfico de drogas e direciona o policiamento para esses focos. “Esses são fatores que influenciam na alta no número de apreensões de entorpecentes, além de fazermos parceria com a Polícia Federal”, observou Araújo. (Jean Messias Freire / Secom Acre)

Assuntos desta notícia