Coluna Mirla Miranda – 21/01/2021

PARABÉNS S/A

Na última terça-feira, 19, as gêmeas e queridas amigas, Silvania e Sandra Pinheiro, sopraram as velinhas! Tenho muita gratidão a Deus pela vida de vocês. Sigam sendo luz!

Pinheiro significa “aqueles que têm origem”!

Vocês são exemplo! Amo com todo meu coração!

DIA HISTÓRICO

O Governador do Estado do Acre, Gladson Cameli; a Secretária de Comunicação, Silvania Pinheiro e quem vos escreve.

A última segunda-feira, 19 de janeiro de 2021, ficou marcada na história! O Governador Gladson Cameli, a convite do Presidente Jair Bolsonaro, participou de dois eventos em São Paulo. Sendo o primeiro no Centro de Logística e Distribuição do Ministério da Saúde, onde ocorreu a coletiva de imprensa e reunião com dezessete (17) governadores da Federação. Na sequência, os governadores foram para a base aérea onde os aviões da Força Aérea Brasileira (FAB) foram abastecidos com os lotes da vacina Coronavac para serem distribuídos aos estados. O evento contou com a participação do Secretário da Saúde, Alysson Bestene; do Procurador-Geral do Estado, João Paulo Setti; da Secretária de Comunicação, Silvania Pinheiro e de quem vos escreve.

IMUNIZAÇÃO

O Governador Gladson Cameli com a vacina Coronavac. Foto: Neto Lucena/Secom
José Marcelino de Oliveira, de 85 anos, residente do abrigo Lar Vicentino. Foto: Neto Lucena/Secom
Maria José Monteiro, de 67 anos, enfermeira no Pronto-Socorro. Foto: Neto Lucena/Secom
Elza Severino Manchineri, enfermeira atuante há 17 anos com Saúde Indígena na Casa de Apoio ao Índio (Casai). Foto: Neto Lucena/Secom
Raimunda Gomes do Nascimento, de 69 anos, técnica em enfermagem. Foto: Neto Lucena/Secom
Foto: Neto Lucena/Secom
Foto: Neto Lucena/Secom

Na terça-feira, 19, o Governo do Acre deu início ao plano de vacinação contra a Covid-19. Nesta primeira fase de imunização, os profissionais da saúde, idosos e a população indígena receberão a primeira dose da vacina com intervalo de até 30 dias para a segunda dose.

Os primeiros vacinados foram: José Marcelino de Oliveira, de 85 anos, residente do abrigo Lar Vicentino; Maria José Monteiro, de 66 anos, enfermeira atuante há 37 anos dentro do Pronto-Socorro de Rio Branco; Elza Severino Manchineri, também enfermeira atuante há 17 anos na Saúde Indígena na Casa de Apoio ao Índio (Casai) e Raimunda Gomes do Nascimento, de 69 anos, técnica em enfermagem.

SOBRE A VACINA, IMPORTANTE SABER

Fonte: Secom/AC
Fonte: Secom/AC
Fonte: Secom/AC

 

A vacina não cura ninguém, ela imuniza a partir da segunda dose. É importante saber também, que mesmo imunizada a pessoa precisa continuar com todo o processo de higienização que está sendo feito. Não estamos vivendo o “Novo normal”, mas sim nos readaptando ao contexto pandêmico. A vacina não traz 100% de imunização, mas ela garante mais segurança para a saúde das pessoas. Continuaremos confiantes de que dará tudo certo!

INAUGURAÇÃO

As proprietárias mãe e filha, Alcelita e Pamela Brito.

Na última sexta-feira, 15, o Atelier das Gostosuras inaugurou sua segunda confeitaria localizada na Avenida Sobral n 497, Baixada da Sobral. Parabéns às proprietárias mãe e filha, Alcelita e Pamela Brito por mais um voo alto! Muito sucesso ao empreendimento!

“Em todo doce que você fizer, certifique-se de colocar uma pitada extra de amor, carinho e muita dedicação.”

ESTREIA

Fonte: Divulgação

No sábado, 23, a partir das 19h, no Casarão, acontece a estreia da peça “Afluentes Acreanas” de Jaqueline Chagas. A lotação estará limitada a 80 pessoas (por ordem de chegada). O projeto é financiado pela Lei Aldir Blanc, através da Fundação Elias Mansour.

SINOPSE: Nesta peça, navegaremos pela história do Acre, lembrando quem foram os nomes que fizeram de nós, quem somos hoje. Falar do passado é também falar do presente, o presente é reflexão pro futuro, assim, através do passado, navegamos para um Acre melhor. Aqui fica nosso desejo de que durante e após esse espetáculo, o Acre seja visto com outros olhos, com olhos formato de amêndoas encantados por quem se é, acreano sangue e magia.

CONCERTO

Fonte: Divulgação

No sábado, 23, a partir das 19h, na Usina de Arte João Donato, o projeto O Canto da Amazônia: Processos criativos aplicados à interpretação vocal de canções amazônicas brasileiras, financiado pela Lei Aldir Blanc através da Fundação Elias Mansour, terá como encerramento, a realização de um Concerto, onde serão cantadas as canções de cunho amazônico praticadas pelos participantes do curso de Formação.

Para aqueles que desejam prestigiar o evento devem entrar em contato pelo ‪(68) 99988-3294 e fazer sua reserva.


Assuntos desta notícia