Pular para o conteúdo
ROBERTH ALENCAR
Roberth José de Sousa Alencar é Delegado de Polícia Civil pós graduado em Ciências Penais, Direito do Estado e Docência Superior pelo Instituto Flávio Gomes (LFG), bem como especialista em investigação criminal com cursos no FBI e CSI Miami. Ex - Diretor Jurídico e Operacional da Polícia Civil do Acre, Professor de cursos preparatórios para concursos e de Instituições de Ensino Superior, além de ter exercido a função de Coordenador da Força Nacional de Segurança Pública nos estados de Sergipe, Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul. E-mail: [email protected]
redes sociais

Golpes virtuais: como prevenir?

Leia a coluna da semana do delegado Roberth Alencar e saiba como se prevenir destes golpes, e, ainda, como agir, caso se torne mais uma vítima

Anúncios falsos de produtos no Instagram (2)

Periodicamente novos golpes em ambiente virtual são criados pelos criminosos. É um processo natural decorrente da ineficácia dos golpes anteriores que deixam de ser plenamente efetivados.



As ações de difusão preventiva sobre a forma com que os golpes são praticados nas redes sociais e pela mídia, após a identificação do “modus operandi”, além do aperfeiçoamento dos mecanismos de proteção das empresas, são alguns dos fatores  que obrigam os golpistas a inovar.

Os cibercriminosos entendem muito bem a extrema necessidade da dinâmica de se criar outras modalidades ou meios de enganar suas vítimas, mas, basicamente, as condutas são praticadas pelas mesmas ferramentas.

Assim, nos últimos meses, tornou-se recorrente o golpe de anúncios falsos de produtos usados na rede social Instagram.

A nova conduta é iniciada através da ação do delinquente que se utiliza de umas das técnicas de apropriação de dados pessoas mais comuns em ambiente virtual: o phishing (um tipo de fraude por engenharia social que manipula o interlocutor para fornecer informações confidenciais). O intuito é acessar dados da conta da rede social Instagram de um terceiro e, em seguida, passar a publicar anúncios de produtos diversos como eletroeletrônicos, móveis e afins, por preços bastantes atrativos e por supostos motivos urgentes. Desse modo, o cibercriminoso consegue auferir vantagens indevidas, principalmente através da forma de pagamento PIX, realizada por seguidores do terceiro titular da conta.

É um golpe aparentemente simples, pois após conseguir acessar os dados de uma conta do Instagram, ofertando produtos abaixo do preço de mercado no stories, o criminoso somente precisa convencer a vítima de que a venda e o pagamento são urgentes.

Mas o que fazer para não cair nesse novo golpe?

As ações são semelhantes a outros golpes, mas com algumas particularidades.

  1. SEMPRE DESCONFIE. NUNCA CLIQUE EM SUPOSTAS PROMOÇÕES ENCAMINHADAS POR MENSAGEM DIRETA (DM) NA SUA CONTA DO INSTAGRAM. Geralmente são mensagens de hotéis, restaurantes, lojas; 
  1. POR SEGURANÇA NUNCA DEIXE CADASTRADO O NÚMERO DO SEU APARELHO NA CONTA DO INSTAGRAM; 
  1. ATIVE A VERIFICAÇÃO EM DUAS ETAPAS NA SUA REDE SOCIAL INSTAGRAM. Esse recurso possibilita um reforço na segurança de acesso ao aplicativo, dificultando o golpe; 
  1. NUNCA TRANSFIRA DINHEIRO OU FAÇA PAGAMENTOS SEM ANTES TENTAR MANTER CONTATO/COMUNICAÇÃO COM O TITULAR DA CONTA: desconfie sempre;
  1. SEMPRE UTILIZE SENHAS COMPLEXAS.

E se você foi vítima do golpe? O que fazer?

A primeira vítima do golpe é o titular da conta invadida, que em tese não teve prejuízo financeiro. Nesse caso é necessário fazer os seguintes procedimentos imediatos:

  • Registro de boletim de ocorrência;
  • Recuperação da conta pelos seguintes passos:
  • Solicitação de login no próprio aplicativo, caso não tenham alterado e-mail de contato, é possível a recuperação.
  • Caso tenha sido alterado, é possível realizar uma selfie, provar que a conta é a conta invadida e a app envia novo código para recuperação de conta.
  • Notificação extrajudicial, por advogado, com prazo para envio do link de recuperação.
  • Ação com pedido liminar e aplicação de multa diária.

Importante se atentar que existe um formulário para as vítimas e que deve ser acessado através do link: https://help.instagram.com/370054663112398

A segunda vítima é o seguidor da conta invadida que realizou a compra. Nesse caso, a única medida é registrar um boletim de ocorrência a fim de que seja iniciada uma investigação para   identificação da autoria e possível recuperação dos valores pagos, caso tenham sido pagos  via PIX. Se o pagamento foi realizado através de outro serviço  bancário, há uma possibilidade de que a instituição faça o estorno.

Ressaltamos a importância de que a população inicie um processo cultural de educação digital para que diminuam as vítimas dos golpes de internet.

Continuamos nossa luta para prevenir os golpes de internet com informação objetiva e acessível. Siga-nos nas redes sociais: instagram @delegadoroberthalencar @apptuts.bio/roberthalencar.

error: Conteúdo protegido!!!