Acisa estima que comércio fez mais de 3 mil contratações temporárias

Para suprir a alta na demanda para o Natal, a Associação Comercial, Industrial, de Serviços e Agrícolas do Acre (Acisa/AC) estima que o comércio do Estado tenha superado neste último trimestre os números de contratações temporárias da mesma época no ano passado, ultrapassando o total de 3 mil “novos” funcionários. O acréscimo provisório do efetivo ocorre geralmente em novembro, em decorrência das promoções, horas extras, aumento de estoques e dias a mais (domingos e feriados) em que as lojas decidem ficar abertas. Os setores comer-ciais que mais fazem tais contratações são os de confecções, cosméticos, calçados, brinquedos, roupas e acessórios em geral.

Conforme Adem Araújo, presidente da Acisa/AC, a expectativa em vendas deste final de ano é maior do que a de 2008 por conta da superação da crise. Somando isso ao pagamento do décimo terceiro salário, que aumenta o poder aquisitivo popular, as lojas de quase todos os segmentos comerciais investiram mais nos seus serviços para o Natal. Segundo o presidente, destas pessoas contratadas para aumentar o rendimento no Natal a maioria é composta de jovens de 18 a 30 anos, buscando afirmação no mercado.

“São pessoas que estão em busca de oportunidades profis-sionais e que tentam aproveitar essa chance para conseguir emprego. É lógico que quando passa o final de ano há uma queda brusca no faturamento do comércio e muitas delas são dispensadas, mas outras, as que têm ensino médio completo e se destacam mais, acabam até conseguindo a efetivação. No ano passado, uma pesquisa do Sebrae, se não me engano, apontou que cerca de 15 a 20% destes jovens conseguiram esse feito”, comenta Adem.  

O empresário também conta que a contratação temporária destas pessoas é algo muito importante para determinadas lojas, especialmente porque melhora a qualidade dos serviços e conquista a confiança da clientela cada vez mais exigente do Estado. “Os estabelecimentos que têm uma venda estável durante todo o ano realmente precisam usar de estratégias como estas para acompanhar o crescimento da procura no Natal. Se não o fizer, esta loja se tornará passível de passar por desordem ou desorganização na hora das vendas e perderá clientes para a concorrência”, finaliza.

 

Assuntos desta notícia

Join the Conversation