Brasil poderá ultrapassar meta de redução do desmatamento e chegar a 90% até 2020, diz Minc

mINC
Brasília –
O Brasil poderá ultrapassar a meta de reduzir o desmatamento na Amazônia em 80% até 2020 e chegar a uma redução de 90%, disse ontem, 8 o ministro do Meio Ambiente, Carlos Minc, durante apresentação do Programa Nacional de Redução e Substituição do Fogo nas Áreas Rurais e Florestais (Pronafogo)

Segundo o ministro, a entrada de recursos do Fundo Amazônia, a sanção do Fundo de Mudanças Climáticas, e os recursos que serão trazidos pelo Mecanismo de Redução de Emissões por Desmatamento e Degradação (REDD), entre outras ações, poderão fazer com que o Brasil ultrapasse a meta de 80%.

“Acho que podemos chegar a 90% de redução de desmatamento em relação ao mesmo período. Para isso, esse trabalho de integração, de prevenção e planejamento no combate às queimadas é fundamental. Porque o desmatamento e as queimadas representam 18% de toda a emissão de CO2 no mundo, mas no Brasil chega a mais de 60%”, explicou.

O ministro disse ainda que o Pronafogo poderá ser um mecanismo importante para que o Brasil alcançe a meta de redução de gases poluentes proposta para o Brasil. “Esse plano vai reduzir incêndios e queimadas no Brasil. Já é o inicio do cumpra-se das metas que o Brasil anunciou para o mundo”, disse.

Minc afirmou ainda que o Pronafogo vai integrar ações de vários órgãos como o Instituto Chico Mendes, o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), Corpo de Bombeiros e Defesa Civil. “Isso vai ser sistematizado para todo o Brasil. Prevenir, integrar e planejar significa otimizar os recursos humanos e materiais de modo a diminuir muito os incêndios que prejudicam o clima e a biodiversidade”,  afirmou.

Segundo informações do ministério, a meta do programa é reduzir em até 25% a área queimada, principalmente nas regiões onde há áreas protegidas entre 2009 e 2010. Até 2013, a intenção é reduzir em 75% a área queimada.

Também devem ser contratados 2.572 brigadistas em 92 municípios que não possuem unidades de Bombeiro Militar até 2013. Além disso, serão adquiridos até 2013 equipamentos como lanchas, aeronaves e viaturas tanto para as equipes de brigadistas quanto para as equipes de bombeiros que atuam nas regiões onde há queimadas. (Agência Brasil)

 

Assuntos desta notícia

Join the Conversation