Familiares e amigos dão o último adeus à advogada “Nenê”

nenen
Conhecida pela competência no trabalho e o jeito irreverente, Maria da Conceição Castelo Branco Coelho, 54, conhecida como Dra. Nenê, faleceu em Goiânia, em decorrência de complicações do dia-betes. Nenê deixa cinco filhos e quatro netos.

O corpo da promotora aposentada e advogada criminalista está previsto para chegar hoje às 12 horas na Capital, onde será velado no Clube Atlético Juventus. O sepultamento acontecerá nesta segunda-feira, no Cemitério São João Batista.

Acreana natural de Rio Branco, Nenê se formou em Direito pela Universidade Federal do Acre (Ufac), atuou na Defensoria Pública de Feijó por dois anos e em Sena Madureira por um ano. Foi procuradora do Estado e delegada do Menor. Foi candidata à deputada estadual em 1998 e se aposentou como promotora de Estado. 

O apelido Nenê surgiu na década de 70, quando era atleta da seleção de vôlei do Juventus, onde ela e outras duas amigas, consideradas as melhores do time, receberam o apelido de vovó, titia e nenê. O que marcava sua personalidade era o bom humor e a irreverência, além da solidariedade. Ela atuou fervorosamente na defesa da cidadã acreana junto com as colegas Maria Tapajós e Salete Maia, e se destacou pela polêmica nos seus manifestos, especialmente quando percebia injustiças com as mulheres. 

Nenê era irmã do juiz federal aposentado e advogado Pedro Paulo Castelo Branco. Ela deixa cinco filhos: Alfredo Jorge Antônio Júnior, Rafael Coelho Antônio, João Paulo Coelho Antônio, Ana Paula e Ana Cristina Coelho Antônio e quatro netos.

 

Assuntos desta notícia


Join the Conversation