Pular para o conteúdo

Programa visa aproximar grandes empresas de fornecedores

empresas

Desenvolvido em parceria com IEL e SEBRAE, programa promete aumentar volume de negócios com o fortalecimento da cadeia produtiva do Estado

Fornecedores que atendem a requisitos técnicos das grandes empresas são preferências no mercado competitivo.  Enquadrar-se às exigências como qualidade, rapidez e custo, portanto, não é tão simples assim. Com isso, a conseqüência é a perda da credibilidade dos fornecedores e, principalmente, do volume de negócios entre as grandes empresas.

Mas não é esse tipo de impacto que o IEL quer acompanhar na economia acreana. Por isso, ousou em implantar no Estado o Programa de Desenvolvimento do Fornecedor (PDF), que em parceria com o Sebrae visa aumentar as negociações entre as empresas âncoras (quem tem o poder de compra) e os fornecedores locais, evitando que a compra de produtos seja feita em outros Estados ou até mesmo em outros países.

O PDF ajuda os fornecedores a conhecerem os requisitos técnicos das grandes empresas, qualificando-os e apresentando-lhes estratégias para boas rodadas de negociações. “É preciso tirar essa imagem de que fornecedor local é problemático e que é melhor comprar em outros Estados. Se as empresas fornecedoras se dispuserem a adequação e as grandes se aproximarem mais, buscando um relacionamento de confiança, será diferente”, disse o consultor do IEL nacional, Evandro Mazo, que esteve esta semana no Acre treinando um grupo de consultores do IEL local e do Sebrae para a aplicação do programa.

O consultor afirma que buscar fornecedores em outros Estados não é uma opção apenas do Acre e que isso é muito comum em todo o Brasil. O mesmo programa já foi desenvolvido em 13 Estados, e a experiência no nordeste, por exemplo, foi significativa.

“O nordeste hoje é a região que mais trabalha com o programa. E o que se pôde perceber em alguns Estados de lá foi o aumento de volume de negócios em mais de 200%. E isso acontece não só porque o sistema de produção dos fornecedores melhora, mas porque o relacionamento das grandes empresas com eles se torna mais próximo”, destacou.

Primeiro grupo formado

 No Acre, o PDF começou a ser desenvolvido em agosto de 2009 com diagnóstico, seleção de empresas âncoras e levantamento de custos. As empresas selecionadas para a formação do primeiro grupo do ramo da construção civil. O setor é o que mais demanda produtos diversos.

Com as âncoras, o programa deverá trabalhar o desenvolvimento de fornecedores, os quais deverão ser indicados pelas próprias empresas, com enfoque na cadeia produtiva. A média será de 20 a 30 fornecedores atendidos, além das âncoras.

“Fechamos um grupo e realizamos treinamento com ele, abordando o que é estratégico, o que é importante adequar, sempre com o foco nas maiores necessidades desse grupo. A implantação do PDF é importante para a criação de oportunidade de negócios dentro do Estado”, enfatizou Evandro.

Para a superintendente do IEL, Socorro Bessa, a parceria firmada com o Sebrae tem sido muito importante. Ela destacou que antes o programa já vinha sido executado pelo IEL, mas pela alcunha de PQF (Programa da Qualificação de Fornecedores) e que esta nova versão é mais promissora devido à junção de esforços.

“A expectativa é das melhores com a execução do PDF. Esperamos fortalecer a cadeia produtiva do Estado e com isso criar oportunidades de negócios”, completou a superintendente do IEL. (Ascom/FIEAC)