Henrique Afonso e Petecão querem disputar vaga no Senado

O deputado federal Henrique Afonso (PV) já tem declarado esta semana em vá-rias conversas na Câmara dos Deputados, em Brasília, que será mesmo candidato a ocupar a segunda vaga do Senado da República pela Frente Popular do Acre nas eleições deste ano.
A decisão tem o apoio e incentivo incondicional da candidata da presidente da República e amiga pessoal, senadora Marina Silva (PV).
A presidente do Diretório do PV no Acre, Shirley Torres, confirma o convite feito pelo PV ao parlamentar, que deverá anunciar a decisão publicamente nas próximas semanas.

O nome de Henrique Afonso (PV) será apreciado pela Frente Popular. Na última quinta-feira, Maria estreou seu primeiro programa televisivo pelo Partido Verde.

Até o momento, a Frente Popular vem se articulando para consolidar os nomes do ex-governador Jorge Viana (PT) e do presidente da Assembléia Legislativa, Edvaldo Magalhães (PCdoB) co-mo as suas duas opções ao Senado.

Caso o nome do deputado Henrique Afonso for recusado, o PV ameaça romper sua aliança com a candidatura do senador Tião Viana ao Governo do Estado. (Agência Contilnet)

Deputado Sérgio Petecão também coloca seu nome para o Senado

Em plena época de definições para a composição de coligações, frentes e nomes para  chapas proporcionais e majoritárias já com fins às eleições de 2010, o deputado Sérgio Petecão (PMN) anunciou esta semana em Brasília sua disposição de disputar uma vaga ao Senado, “desde que se consolide uma corrente favorável dentro da posição”. O  deputado disse que já vem há algum tempo consolidando a idéia, principalmente depois de visitar este início de ano o interior do Estado, “onde é visível o sentimento de mudança e muitas pessoas terem sugerido meu nome para uma das vagas do Senado”.

Ainda semana passada, Petecão teve uma longa conversa em Brasília  com o deputado Flaviano Melo. No encontro, os parlamentares fizeram uma radiografia da realidade política atual do Acre, falaram dos grupos políticos existentes, os riscos da divisão dos aliados e as chances reais da oposição em uma candidatura majoritária. A conclusão básica é que a oposição hoje conta, em todo o Estado, com uma grande aceitação popular. Por isto mesmo, goza de uma chance histórica de emplacar uma das cadeiras do Senado desde que obedeça algumas estratégias claras de embate político. “Não podemos desperdiçar uma chance destas”, disse Petecão.

Na reunião a portas fechadas, Petecão primeiramente ofereceu seu apoio a recondução  de Flaviano ao Senado até como líder natural das oposições no Acre. O ex-senador agradeceu a oferta, mas reafirmou sua intenção de tentar a reeleição à Câmara dos Deputados. Petecão então colocou seu nome como alternativa, mas a reunião teve seu ponto final sem qualquer tomada de decisão definitiva. Para Petecão, a oposição hoje conta com quadros experientes, competentes e de grande conceito junto à população, “e por isto mesmo não pode perder tempo nem a oportunidade que hoje o quadro político oferece”.

O líder do PMN no Acre disse que vai ainda conversar com outros líderes da oposição para ponderar mais esta possibilidade de candidatura. O deputado disse que ficou muito feliz ao saber que em algumas sondagens de opinião pública (pesquisas) no Estado, seu nome aparece de forma espontânea para o Senado, “ainda que nunca tenha colocado anteriormente meu nome a discussão”. Ele disse que pretende agora voltar a “toda carga” na Câmara dos Deputados e deixar que a idéia de candidatura ao Senado se cristalize mais tanto na oposição como na opinião pública, “até porque o eleitorado é que vai dizer quem serão os nossos próximos 2 senadores. E por isto mesmo coloco desde já meu nome à disposição”.

 

Assuntos desta notícia

Join the Conversation