Custo com alimentação sobe 3% em fevereiro na Capital

As despesas dos rio-branquenses com alimentação em fevereiro aumentaram 3,31%, quando comparadas com o mês anterior. Enquanto que em janeiro o custo com a cesta básica foi de R$ 153,85, mês passado ele foi de R$ 158,94. Esses são os dados da última pesquisa do Departamento de Estudos e Pesquisas Aplicadas à Gestão, da Seplan (Secretaria de Planejamento).

Em Cruzeiro do Sul a situação de deflação não foi diferente, mas bem menor do que a registrada em Rio Branco. De R$ 208,62 em janeiro, as despesas com os alimentos no mês passado ficaram em R$ 209,66. Uma variação positiva de 0,50%. Na Capital, dos 14 itens analisados, 13 apresentaram alta no período. A alta foi puxada pela banana (13,91%), logo acompanhada pelo açúcar (8,74%) e mandioca (7,46%).

Já em Cruzeiro do Sul, a carne foi o alimento que mais pesou no bolso do consumidor. Antes janeiro, o aumento em fevereiro foi de 5%. Mesmo percentual de acréscimo foi observado no açúcar. Entre fevereiro do ano passado e de 2010, a cesta básica alimentar em Rio Branco registrou deflação acumulada de 0,31%.

Ainda de acordo com a pesquisa, um trabalhador rio-branquense com carga horária de 220 horas mensais, e recebendo um salário mínimo (R$ 510), necessitaria trabalhar, em fevereiro, mais de 68 horas, ou 8,6 dias, para adquirir os alimentos básicos.  Na outra ponta do Acre, um trabalhador com a mesmas características e mesmo objetivo gastaria 90 horas.

 

Assuntos desta notícia

Join the Conversation