Governo publica nota de pesar e decreta luto oficial pela morte do acreano Armando Nogueira

O Governo do Estado divulgou nota de pesar em razão do falecimento do jornalista acreano Armando Nogueira, na manhã de segunda-feira, 29. Na tarde de ontem foi assinado o decreto de luto oficial de 3 dias, pe-ríodo em que as bandeiras do Acre terão que ficar a meio-mastro nas repartições públicas. Confira nota abaixo:

NOTA DE PESAR

O povo acreano recebe com pesar a notícia do falecimento de Armando Nogueira, ocorrido nesta segunda-feira, 29, em sua casa no Rio de Janeiro, aos 83 anos de idade. Acreano de Xapuri, Armando Nogueira tornou-se conhecido e admirado em todo o Brasil, por seu grande talento e pela excelência de seu trabalho. A partir de 1950 ele brilhou nas principais redações da antiga capital do País e projetou a televisão brasileira como diretor da Central Globo de Jornalismo, de 1966 a 1990. Cobriu 15 Copas do Mundo e três Olimpíadas, escreveu 10 livros, tendo como tema o futebol, e chamou atenção com a poesia de suas crônicas em revistas, jornais, rádio e televisão.

Exercendo as mais elevadas funções e participando dos mais gloriosos momentos do jornalismo brasileiro, sempre afirmou sua origem e divulgou com carinho a história do Acre e do povo acreano. Podemos dizer, com propriedade, que alguns traços distintivos da acreanidade foram ressaltados na diversidade cultural brasileira pela palavra inspirada de Armando Nogueira.  

O governo do Acre, reconhecendo a importância de seu exemplo na educação dos jovens de hoje e das futuras gerações, inaugurou em Rio Branco, em 2003, uma moderna escola com seu nome, priorizando nela atividades esportivas. A Escola Armando Nogueira é agora uma semente, símbolo e alma do filho pródigo que a inspirou. No mesmo ano, Armando veio visitar sua terra natal após longos anos de ausência. Foram dias emocionantes, em que as lições do experiente jornalista misturaram-se às recordações da infância vivida às margens do rio Acre gerando novas e saborosas crônicas, notícias e imagens divulgadas mundo afora.

Assim como as referências ao Acre eram constantes no trabalho de Armando, sua casa, no Rio de Janeiro, era também uma embaixada do Acre onde seus conterrâneos eram recebidos com alegria e apoiados em suas necessidades. Jovens estudantes, jornalistas e desportistas, encontraram nele importante apoio para a realização de seus sonhos e estímulo em seus trabalhos.

Hoje, mais uma vez, o governo do Acre vem expressar publicamente a gratidão, admiração e estima do povo acreano por esse irmão que se despede. Que seu exemplo de amor ao Acre e ao Brasil prospere entre nós. Que seu talento e a qualidade de seu trabalho possam continuar sendo fonte de inspiração para as futuras gerações de acreanos e brasileiros.

Obrigado, Armando.

Assuntos desta notícia


Join the Conversation