Incêndio leva pânico ao Hospital da Criança

Um incêndio no Hospital da Criança – onde também funciona provisoriamente a MaternidaBárbara Heliodora – gerou pânico e desespero entre funcionários e pacientes, na manhã de ontem. Eram aproximadamente 10h15 quando uma cortina de fumaça, vinda do almoxarifado, invadiu o estabelecimento.Fogo
Sem saber exatamente o que estava acontecendo, as mães agarraram seus filhos e deram início à evacuação. O cenário era desolador. Enquanto os bombeiros continham o incêndio, evitando a propagação das chamas, mulheres e recém-nascidos surgiam a todo instante do meio da fumaça.

Na pressa de salvar vidas, uma incubadora com uma criança dentro foi transportada em cima da carroceria de uma caminhonete.

Toda a frota do Serviço Móvel de Urgência (Samu) foi utilizada na transferência das pacientes e seus filhos para a maternidade do hospital Santa Juliana e para o Hospital de Urgência e Emergência de Rio Branco (Huerb).

Fogo2As mulheres que estavam em trabalho de parto foram encaminhadas ao prédio do Centro de Oncologia do Acre (Cecom), localizado a poucos metros do Hospital da Criança. Todos os espaços disponíveis foram utilizados para abrigar as mulheres.

Maria Duricel, 22 anos, havia dado entrada na clínica na noite anterior em trabalho de parto prematuro. Aos sete meses de gravidez, ela se fazia de forte para não dar à luz nos corredores do Cecom. Com o agravamento do seu quadro, ela foi transferida para um leito do hospital Santa Juliana.

“Tive muito medo de perder a minha mulher e meu filho”, disse carregado de emoção Gerson Barroso dos Santos. Por sorte, ele estava no hospital no momento da descoberta do incêndio. Tinha ido buscar a mulher e o primogênito José Mariano, nascido na última sexta-feira.

Eduardo Hadad, médico que estava de plantão no momento da ocorrência, estava desolado. Sua maleta de primeiros-socorros estava numa sala próximo ao local do incêndio. Um bombeiro ainda tentou removê-la, mas teve que recuar em virtude da grande quantidade de fumaça. “Com vidas não se brinca, por isso tivemos que evacuar todos rapidamente”, disse.

Secretário Osvaldo Leal coordenou ações de socorro
Fogo1O secretário estadual de Saúde, Osvaldo Leal, esteve o tempo todo no local e coordenou pessoalmente as ações de socorro. Com o suporte das equipes da Ciatran, Samu, Bombeiros, Polícia Militar, funcionários e familiares de pacientes, a situação foi facilmente contornada. Às 11h30, em coletiva a imprensa, eram dados os últimos informes da operação.

“A população pode ficar tranqüila, não foi registrada nenhuma vítima e nossos esforços se concentram neste momento em garantir a segurança dos pacientes e reparar os estragos para a normalização do atendimento”, declarou Leal.

O comandante do Corpo de Bombeiros, coronel Pires, informou que somente o relatório da perícia vai poder apontar quais foram às causas do incêndio, mas que o hospital ficará interditado até que seja seguro a normalização do atendimento. Segundo ele, para evitar a propagação da fumaça e conter as chamas, os bombeiros tiveram que fazer um grande buraco na parede do lugar.

A diretora do Hospital da Criança, Lorena Valença, agradeceu a solidariedade de todos e informou que cerca de 60 pacientes – entre mulheres e crianças – foram transferidos para locais seguros. De acordo com ela, pelo menos 100 funcionários estavam no local no momento do ocorrido. A Sesacre disponibilizou o telefone 3224-5400 para que os familiares possam obter informações sobre os pacientes transferidos.

Governador Binho Marques esteve no local
O governador Binho Marques (PT) também esteve no local. Era por volta de 12h quando ele chegou acompanhado do assessor de imprensa, Aníbal Diniz, e seguiu direto para o interior do hospital. Binho reforçou aos jornalistas presentes a ausência de vítimas e lamentou o ocorrido.

O Hospital da Criança fica interditado até a liberação por parte do Corpo de Bombeiros. Enquanto isso, as mulheres grávidas devem buscar atendimento na maternidade do Hospital Santa Juliana. No caso das crianças, o atendimento deve ser direcionado ao Hospital de Urgência e Emergência de Rio Branco.

 

Assuntos desta notícia

Join the Conversation