Notificações de dengue começam a cair, mas valores ainda são altos com total de 15,8 mil

Depois de quase 2 meses em estado crescente de epidemia em Rio Branco, as notificações para a dengue na cidade começaram a ter as primeiras baixas. Conforme o relatório de vigilância da Secretária Municipal de Saúde (Semsa), na semana passada – a 11ª no calendário epidemiológico (14 a 20 de março) – foram 1.570 casos notificados da doença, o que elevou o total neste ano para mais de 15.850. A baixa mencionada antes é porque nas últimas 3 semanas as advertências caíram de 2.110 para 1.570 notas/semana (25,6% de queda), um reflexo das ações intensas da prefeitura e da mobilização popular. Pascal-Khalil
Contudo, apesar da redução os números ainda são considerados bastante altos. Para se ter uma idéia, estes 15.850 mil avisos em 2010 já representam 81,5% do total registrado durante todo o ano passado (19.451). E tem mais! De acordo com o secretário de Saúde, Pascal Khalil, para voltar ao estado de normalidade em Rio Branco é preciso reduzir tal valor até chegar a 30 notificações por semana. Porém, isso não é motivo de desânimo e sim de mais empenho na prevenção, em especial, aos focos do mosquito.

“Essa queda anima um pouco, contudo, os valores ainda são muito altos. Portanto, agora, mais do que nunca, é a hora certa de estarmos redobrando os esforços para atuar no combate aos focos do vetor da doença. E nisso a população pode ajudar bastante, cuidando bem da sua casa, chamando a atenção do seu vizinho e deixando sempre os agentes de endemias entrar para fazer o seu trabalho de prevenção. O mais importante nesse momento é eliminar de vez os criadouros do mosquito”, ressaltou.

Com efeito, a preocupação do secretário se baseia no fato de que 80% das ações públicas contra a epidemia de dengue estão sendo destinadas aos focos do vetor. Isso porque, contrário a velha e errada concepção de que seja o fumacê que resolva, é nestes criadouros que se formam e se reproduzem novos ciclos de mosquitos. “Combatendo os focos, não haverá como surgir novos mosquitos para infestar a cidade, ainda mais agora que estamos nos aproximando do final do período de chuvas”, explicou o secretário.

Separando as cerca de 15.850 mil notificações por semanas epidemiológicas, são 532 avisos na 1ª (3 – 9 de janeiro); 800 na 2ª (10 -16); 744 na 3ª (17 – 23); 907 na 4ª (24 – 30); 1.754 na 5ª (31 de janeiro – 6 de fevereiro); 1.819 na 6ª (7 – 13); 1.855 na 7ª (14 – 20); 1.860 na 8ª (20 – 27); 2.110 na 9ª (28 de fevereiro – 6 de março); 1.910 na 10ª (7 – 13) e as 1.570 da semana passada (11ª: 14 – 20 de março).

 

 

 

Assuntos desta notícia


Join the Conversation