Carro preto aterroriza moradores no Calafate

Moradores do bairro Calafate estão aterrorizados com a presença de um veículo modelo Palio de cor preta e vidros escuros, que constantemente é visto rondando nas proximidades das escolas instaladas naquele bairro.

Segundo informações da dona-de-casa Albertina Aguiar, mãe de uma menina de 11 anos, que estuda em um colégio naquele bairro, na última segunda-feira, 22, por pouco sua filha não foi raptada pelos ocupantes do carro preto.

“Meus vizinhos falaram a respeito desse carro ocupado por dois homens e uma mulher que estariam pegando crianças à força, mas eu não acreditei pensando ser mais uma lenda de bairro. Na segunda-feira, minha filha estava para a escola e normalmente ela retorna sozinha, mas eu tive um pressentimento ruim, resolvi ir buscá-la e chamei minha vizinha para ir comigo. Quando estávamos perto da escola avistei minha filha, uma colega de aula e um carro preto bem devagar. Quando se aproximou das crianças, alguém abriu a porta do carro e o motorista jogou o veículo na calçada eu e minha vizinha gritamos por socorro e o carro passou em alta velocidade, não deu para anotar a placa”, relatou a mãe aflita.

Vários moradores já  denunciaram a presença desse veículo. Eles temem que o desaparecimento de jovens em Rio Branco esteja relacionado à presença do carro preto.

Nas últimas semanas, dois jovens foram declarados desaparecidos de forma misteriosa. Um estudante de 22 anos que reapareceu em Porto Velho, mas até agora a polícia não esclareceu o que de fato aconteceu com ele. Outro jovem está desaparecido desde a semana passada e, da mesma forma, a polícia não tem pistas do que aconteceu. 

Moradores do Calafate marcados para morrer 
Além da presença de um carro preto que vem assustando a população do Calafate, quatro moradores estão marcados para morrer no mesmo bairro.

As ameaças de morte partiram do presidiário em liberdade condicional, apenas conhecido pelo apelido de “Africano”, que teria saído do presídio na tarde de terça-feira, 16, e, na noite de quarta-feira, 17, teria matado com três tiros no pescoço o jovem Daniel Sales Pinheiro, 21 anos.

O crime aconteceu na Rua Bom Jesus, bairro Calafate. A vítima ainda conseguiu correr e entrar em uma igreja, foi socorrido por paramédicos do Samu e encaminhado ao Pronto-Socorro, onde deu entrada em estado gravíssimo. Por volta das 4h da madrugada de quinta-feira, 18, ele não resistiu aos graves ferimentos e morreu.

Segundo informações de testemunhas antes de atirar em Daniel Sales, o acusado Africano teria dito que só estava cumprindo o que havia prometido quando foi preso, que ao sair do presídio mataria todas as pessoas que o espancaram no dia em que foi para a prisão.

Entre essas pessoas estaria Daniel, que foi morto cerca de 20 horas após Africano ter saído do presídio.

Antes de ser preso e levado para o presídio, Africano se envolveu em uma confusão em que foi brutalmente espancado por várias pessoas, entre elas Daniel, que também foi preso, mas logo liberado.

Após atirar em Daniel, o acusado conseguiu fugir da polícia. Ao ter confirmada a morte da vítima, Africano teria mandado recado com uma lista que ele teria marcado para morrer e todas são acusadas de espancá-lo. 

 

Assuntos desta notícia


Join the Conversation