Polícia Civil faz apreensão de 223 quilos de maconha

O plantio de maconha, com mais de cinco mil pés destruídos por investigadores da DRE e 10 mil que haviam sido colhidos, foi localizado  no Seringal Macapá, Colocação Ananá, km 58 da Estrada Transacreana, na área de Reserva Chico Mendes, zona rural do município de Xapuri. No local, a polícia apreendeu 177 quilos de maconha, pronta para consumo, além de 46 quilos de sementes da droga, o que totaliza, 223 quilos.
Maconha1
Foram quatro dias de buscas na região que faz fronteira com a Bolívia. Policiais civis da Delegacia de Repressão a Entorpecentes (DRE) alcançaram uma plantação de maconha, em diversas fases de cultivo e mais de 177 kg da droga pronta para consumo. Três pessoas foram presas pelo crime: Natanael Lima de Oliveira, 27, e o irmão dele, Naleudo Lima de Oliveira, de 25 anos, além de um menor de 15 anos, que prestava serviço ao traficante Natanael, arrendatário das terras de Naleudo. 

A prisão do entorpecente é resultado de um trabalho intenso da DRE na repressão à produção e consumo de droga no Estado. A operação foi comandada pelo delegado Adriano Carrasco, com os investigadores Ari, Adriana, Laurence e Railson.

Maconha3A DRE contou ainda com o apoio do sargento Cláudio Roberto e do soldado Cavalhase, ambos do corpo de bombeiros militar. 

Para chegar ao local os policiais seguiram de barco pelo Rio Acre, depois pelo Riozinho do Rola até alcançar ao Seringal Macapá, Colocação Ananá, incluindo 9 horas de caminhada por trilhas inóspitas na região da Reserva Chico Mendes. No local investigado, os investigadores da narcóticos encontraram um casa de sapê, onde eram armazenados o estoque da maconha. 

Logo nas proximidades do casebre, a polícia se deparou com um viveiro da erva Cannabis Sativa. Assim como outras plantas, a maconha possui dois gêneros: macho e fêmea. Em um mesmo pé pode ter ambas as estruturas sexuais. É a flor do macho que produz o pólen que fecunda a fêmea. Quando a flor da fêmea é fecundada ela se enche de sementes e depois morre, metros adiante um roçado com plantas prontas para colheita e outras em fase de crescimento. Cerca de 5 mil pés da planta foram arrancados e queimados pela polícia.  

Os detidos foram indiciados por tráfico de entorpecente, crime disciplinado pelo art. 33 da Lei 11.343/2006. Pelo que foi possível apurar, o traficante cultivava a droga na área há cerca de um ano, até ser localizado e preso pelos investigadores da DRE. 

Parte dos mais de 177 kg da droga ainda não havia passado pelo processo de prensagem, que era feito no tronco de Samaúma, depois pressionado por macaco hidráulico em uma bandeja de madeira até se transformar em “tijolos”, que eram vendidos na Capital, principalmente nas bocadas do bairro Calafate, segundo disse o delegado Adriano Carrasco. 

“Foi uma investigação complexa, mas pelas condições de acesso tivemos de transpor diversas barreiras, inclusive, nadar por córregos com “tromba d’água” enxurrada, ressaltou o delegado Adriano Carrasco. Ele também prometeu intensificar as buscas na região da Rodovia Transacreana.

Maconha2

Maconha4

Assuntos desta notícia


Join the Conversation