Em visita ao Acre, ex-ministro José Dirceu ressalta avanços na economia

Em visita ontem ao Acre, o ex-ministro da Casa Civil, José Dirceu (PT), defendeu e ressaltou os avanços na economia brasileira nos últimos anos por conta das políticas sólidas adotadas pela equipe econômica do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Dirceu veio ao Estado a convite do diretório regional do Partido dos Trabalhadores e pela tarde realizou palestra para empresários na sede da Fieac (Federação das Indústrias do Acre).
Direceu
Passados oito anos da chegada da esquerda a Brasília, José Dirceu afirma que o cenário econômico é totalmente diferente de 2002, quando o mercado ficou abalado com a possibilidade de o PT ganhar a disputa presidencial. “Hoje, temos um cenário de esperança e confiança. Há a expectativa de que o país tenha um crescimento este ano de mais de 5%, gerando mais de dois milhões de emprego e tem investimentos que garantem esse crescimento pelos próximos cinco anos”, diz o ex-ministro.

O investimento na modernização da infra-estrutura brasileira, como a recuperação e construção de novas estradas, portos e aeroportos, assegura uma alavancagem da economia, afirma ele. Outro fator a garantir o desenvolvimento do país é a recuperação do poder de compra dos trabalhadores brasileiros, como também a inclusão de mais pessoas como detentoras de alguma renda, graças aos programas sociais, como o Bolsa Família.

Uma das maiores queixas do setor produtivo, as elevadas taxas de juros, foram lembradas por Dirceu. Para ele, o atual cenário econômico é favorável para que o país corte os juros, e não os aumente. Setores dentro do PT são explicitamente contra à atual política de juros implementada pelo Banco Central. “Temos uma inflação sob controle, nossa inadimplência não é tão alta, os custos tributários não são diferentes do resto do mundo, então é hora de baixar juros no Brasil, inclusive a taxa Selic”, defende o petista.

Para o empresariado acreano, Dirceu defendeu a continuidade da atual política econômica com o governo do PT.

 

 

 

Assuntos desta notícia


Join the Conversation