Universitário tenta matar dois irmãos

Os irmãos Sérgio Murilo Souza da Silva, 21 anos, e Francisco Auristênio Souza da Silva, 27 anos, foram vítimas de tentativa de homicídio na noite de sábado, 3, no bairro Mocinha Magalhães.

O autor da dupla tentativa de homicídio é o acadêmico do curso de Engenharia Florestal, Edson Moreno da Silva, 20 anos, o “China”, que foi preso minutos após perfurar os irmãos com uma barra de ferro.

Segundo informações de testemunhas, na noite de sexta-feira, 2, os irmãos Sérgio e Francisco teriam tentando arrancar a mochila do universitário. Na noite de sábado, 3, quando o estudante passava pelos irmãos que moram no mesmo bairro. Eles teriam ameaçado espancar Edson Moreno, que se apossou de uma barra de ferro e revidou a agressão.

O jovem Sérgio Murilo sofreu uma perfuração na altura do peito esquerdo e foi socorrido por uma equipe de paramédicos do Serviço de Atendimento Móvel (Samu) e encaminhado ao Pronto-Socorro, onde deu entrada em estado gravíssimo.

A outra vítima é Francisco Auristênio, que foi atingido com uma perfuração do lado esquerdo do abdômen ficando com parte das vísceras expostas. Ele também foi socorrido e encaminhado ao Pronto-Socorro por uma equipe do Samu. 

Universitário é dependente químico e sofre de distúrbios mentais 
O acusado foi preso minutos depois por policiais militares. Ele também ficou ferido na luta que travou com os irmãos Silva e foi medicado no Pronto-Socorro, em seguida, encaminhado à Delegacia Central de Flagrantes (Defla).

Segundo informações de uma irmã de Edson Moreno, ele é dependente químico e estaria sofrendo distúrbios mentais.

“Eu já havia pedido aos irmãos Sérgio e Francisco que não perturbassem o Edson, pois ele está sofrendo de graves problemas psicológicos”, afirmou a irmã do acusado.

Na delegacia, o universitário alegou que agiu em legítima defesa e assumiu que é usuário de cocaína e maconha. Entorpecentes que ele alega usar somente para “abrir o intelecto” e raciocinar mais rápido. O acusado também afirmou não se arrepender do que fez, pois caso não se defendesse dos irmãos, estaria morto.

 

Assuntos desta notícia


Join the Conversation