Restaurante Popular: dois anos de alimentação saudável aos cidadãos

A comemoração dos dois anos do Restaurante Popular em Rio Branco reuniu pessoas de todas as idades e contou com a presença do prefeito Raimundo Angelim. O evento aconteceu na manhã de ontem, 18, sendo avaliado como uma vitória de um grande passo rumo à melhoria da alimentação da população.
Angelim-visita_11111
O Programa Restaurante Popular está associado à rede de ações e programas do Fome Zero,  uma política de inclusão social estabelecida em 2003, pela Presidência da República, por meio do Ministério do Desenvolvimento Social e de Combate à Fome.

São atendidas no Restaurante, em média, 550 a 600 pes-soas por dia. Em dois anos já foram mais de 230 mil refeições servidas. Os clientes são na maioria trabalhadores do comércio, ambulantes, idosos, crianças e pessoas desempregadas. Os freqüentadores não se limitam somente aos moradores da Baixada do Sol, mas também de toda a cidade.

A Coordenadoria Municipal do Trabalho e Economia Solidária (Comtes) estava animando o ambiente ao som da voz do funcionário Dallas Dean. O festejo, muito bem aproveitado por todos, também possui um significado importante, o da saúde alimentar dos rio-branquenses.
O custo de R$ 1 o almoço, não significa qualidade inferior da comida. Muito pelo contrário. O cardápio é variado como em qualquer outro

restaurante, mas com um diferencial: tudo o que é servido passa antes por uma rigorosa inspeção das nutricionistas Cláudia Sena e Sandra Melissa. Elas são as responsáveis pelo exame da condição dos alimentos servidos aos clientes.

A coordenadora do Restaurante Popular, Valdete Viana, conta que a maioria da equipe do Restaurante Popular é terceirizada. Na cozinha são seis funcionários que na hora da preparação do almoço priorizam somente os sucos da fruta ou da polpa. Ela revela que, após algumas pesquisas foi comprovado um aumento significativo na qualidade da saúde das pessoas que freqüentam constantemente o Restaurante. “O hábito de comer saladas e frutas não ficam só ali, mas também são levadas para casa”, comemora a coordenadora.

A nutricionista Cláudia Sena revela como funciona o serviço do Restaurante. “Temos cinco semanas de cardápios diferentes. Servimos peixe uma vez por mês. Há semanas que servimos feijoada e também dobradinhas”. A bandeja do almoço contém o prato protéico (que é a carne), arroz, feijão, 3 tipos de saladas distintas, o acompanhamento (macarrão ou farofa), o suco e a sobremesa, que é sempre um doce ou uma fruta da região.  Para o aniversário foram feitos 16 bolos que resultaram em um único e enorme bolo decorado com a bandeira do Brasil.

Além de alimentação, o Restaurante Popular também oferece exposições culturais, com atendimento médico à população, atendimento da Justiça Comunitária, e do Cras da Sobral (Centro de Referência de Assistência Social).

Os resultados do trabalho feito até agora são ótimos. A satisfação é clara nos rostos e comentários das pessoas. Jéssica Rodrigues, estudante do 9° ano do Ensino Fundamental, almoça todos os dias no Restaurante Popular desde a inauguração. “Eu gosto, porque a comida é bem balanceada, coisa que não temos em casa”, diz a jovem sorrindo. Já o aposentado, Francisco Pinheiro, 70 anos, conta que o que mais lhe agrada ali é o bom tratamento.

Cláudia comenta sobre isto: “na alimentação nunca é possível agradar a gregos e troianos. E aqui até que parece que a gente conseguiu agradar a todos”.

O prefeito Raimundo Angelim, que esteve no almoço acompanhando a comemoração, avalia o trabalho realizado ali: “são dois anos de funcionamento do nosso Restaurante Popular. É um empreendimento que deu certo, teve sucesso. As pes-soas pagam com R$ 1 e a prefeitura complementa com o restante. Mas o mais importante: é uma comida balanceada. Aqui se trabalha com compromisso, com amor e com respeito às pessoas. Hoje o restaurante, mais do que servir comida, é um ponto de encontro para essas pessoas”. (Ascom PMRB)

Assuntos desta notícia

Join the Conversation