Comunidade rural participa de recuperação de nascentes na bacia do Riozinho do Rôla

O Projeto Construção Participativa e Sustentabilidade Hídrica, realizado pela Cooperativa de Trabalho do Acre (Cootac), iniciou no mês de maio, a coleta de amostras de terra para analisar a fertilidade de dez áreas piloto pertencentes à bacia hidrográfica Riozinho do Rôla. O objetivo do projeto é recuperar nascentes e matas ciliares do principal afluente do rio Acre.

Já foram realizadas coletas de solo nos seringais Albrácia, Nazaré, Tupá e Boa Vista, localizados no município de Xapuri. Neste final de semana, acontece a continuação da atividade nos Projetos de Assentamento Carão e Moreno Maia.

O trabalho está sendo orientado pelo doutor em Solos e Nutrição de Plantas, Edson Araújo, que juntamente com moradores das localidades e equipe técnica retiram amostras da camada superficial do solo, no entorno das nascentes e das escolas selecionadas pelo projeto com intuito de verificar, inicialmente, aspectos como cor, textura e possíveis impedimentos físicos para o plantio, como por exemplo, a presença de piçarra, camadas adensadas, lençol freático suspenso, entre outros. Todas as amostras foram identificadas e etiquetadas com informações sobre o local para posterior análise laboratorial (química e física).

De acordo com o resultado, as espécies serão selecionadas em conformidade com a classificação do solo juntamente com a comunidade local. O plantio das espécies será semelhante às da área a ser reflorestada. Assim, serão utilizadas diferentes tipos de espécies, tanto as que ocorrem em terra firme e como as tolerantes ao encharcamento ou inundação periódica.

No momento da realização da coleta de solo é explicado ao morador da localidade, técnicos e mensageiros da água (pessoa selecionada pela comunidade para dar apoio nas atividades do projeto) a importância do procedimento para identificação das espécies.

As dez áreas de atuação do projeto, consideradas áreas piloto, abrangem o seringal Cachoeira e os Projetos de Assentamento Carão, Moreno Maia e Oriente, localizados em Rio Branco. Em Xapuri, os seringais Albrácia, Nazaré, Tupá, Boa Vista (colocação Samaúma e São João do Guarani). No município de Brasiléia, o seringal Amapá.

O projeto tem duração de dois anos. É patrocinado pela Petrobras, através do Programa Petrobras Ambiental e apoio do Governo Federal, parcerias do Governo do Estado e Prefeitura de Rio Branco. Até 2012, aproximadamente, 29 mil mudas serão plantadas a fim de recuperar áreas de nascentes. (Assessoria)

Assuntos desta notícia


Join the Conversation